Tag Archives: poupança

Poupança e Investimento Resumo

Poupança e Investimento Resumo

Poupança e Investimento Resumo

Poupança e Investimento Resumo

A Poupança está diretamente ligada com o investimento.

O investimento é gerado pela poupança da pessoa que investe ou por poupança de outros, quando se recorre ao crédito.

Rendimento Pessoal disponível = Rendimento – Impostos – Quotização Social

O rendimento disponível pode ser canalizado:

Poupança: É a parte do rendimento que não é consumido.

Costumamos dizer que o Investimento é igual à poupança, porque na realidade qualquer investimento é fruto de capitais próprios (poupança pessoal) e de capitais alheios (crédito em que o capital é derivado da poupança de terceiros).

Consumo

Em Portugal a taxa de poupança tem vindo a diminuir nos últimos anos.

poupança poup

Principais razões para a poupança

Motivos para a poupança

Principais razões para a poupança

Especulação: Poupança é criada para a realização de investimento por motivos especulativos.

Podemos querer adquirir algo que saibamos que vai futuramente valorizar e desta forma podemos aumentar o nosso capital.

Incerteza: O receio quanto ao futuro, instabilidade no emprego, receio face à reforma, ajuda a familiares. Estes motivos fazem com que ocorra uma poupança para precaução.

Em épocas de crise é uma das razões principais para a poupança.

Despesa Futura: Muitas vezes para adquirirmos bens com valor mais elevado (ex: um carro), recorremos à poupança para podermos fazer uma aquisição futura. Consumo também pode gerar poupança para a sua aquisição, por exemplo a compra de um computador, ou outro bem que seja mais dispendioso.

Neste caso o consumismo tem vindo a influenciar os níveis de poupança.

Consumismo

Consumismo

Os destinos da poupança

Existem 3 destinos possíveis para a poupança:

1 – Colocação financeira

2 – Entesouramento

3 – Investimento

1 – Colocação Financeira – consiste na aplicação da poupança em produtos financeiros disponibilizados pelas instituições financeiras (ex: depósitos a prazo, certificados de aforro, planos de poupança, fundos de investimento, ações, obrigações, etc).

Existe uma relação inversa entre poupança e consumo. Isto significa que quanto maior é o consumo menor é a poupança e vice versa.

Também existe uma relação entre nível de rendimento e poupança. Tendencialmente quanto maiores forem os níveis de rendimento também maiores deverão ser os níveis de poupança. Embora dependa também da estrutura de consumo de cada família.

Taxa de juro e poupança, uma taxa de juro mais elevada favorece também um incremento da poupança pois o capital passa a ser melhor remunerado e existe por esse motivo uma maior compensação pela renúncia ao consumo presente.

Os destinos da poupança – a importância do investimento

Poupança – Colocação financeira

Aplicação da poupança em produtos financeiros. Bilhetes de tesouro, dep. a prazo, certificados de aforro, planos de poupança ou fundos de investimento.

Existem várias componentes associadas à colocação financeira

Investimento:

Formação bruta de capital fixo (FBCF): implica o investimento em imobilizado ou qualquer outro tipo de bens duradouros. A sua aquisição implica a realização de amortizações, que englobam o desgaste do capital fixo. Por ex: a aquisição de um automóvel implica que este tenha uma depreciação do seu valor que tem que ser considerada através das amortizações.

Variação de existências: que representa as variações de stocks entre dois períodos diferentes. Normalmente, considera-se o período de um ano, o stock existente em 1 Janeiro e comparado com o existente em 31 de Dezembro.

Investimento

Investimento material: quando a aquisição de bens tangíveis, pressupõem existência física, bens corpóreos; ex: compra de um carro.

Investimento imaterial: quando se refere à aquisição de bens intangíveis, bens não corpóreos, como a prestação de serviços, design, marcas, patentes, ou software, publicidade e valor da marca.

Investimento financeiro: investimento que é resultado de aplicação em ativos financeiros: ações ou obrigações.

Investimento quanto á função:

Investimento de substituição: para assegurar a capacidade produtiva devemos repor o capital à medida que vai sendo utilizado. Por exemplo quando tenho um computador que se torna obsoleto e vou comprar um nova para o substituir é um investimento de substituição.

Investimento de capacidade: para a realização de uma atividade que exige mais recursos é muitas vezes aumentar a capacidade produtiva. Uma empresa que tem um servidor X, este servidor tem capacidade para 30 clientes, com o crescimento da empresa temos que comprar um novo servidor para poder alojar mais clientes.

Investimento de inovação: aumento da eficiência e racionalização, por ex: um software que consiga ser mais rápido e prático.

Investimento quanto ao agente

Investimento Público ou Investimento Privado

Investimento Público: Investimento em hospitais, escolas, estradas,acessibilidades, etc.

Investimento Privado: empresas, criação de postos de trabalho, investigação e desenvolvimento, etc.

A inovação tecnológica e investigação e desenvolvimento (I&D)

O investimento em inovação implica a valorização da marca e do produto. Vai implicar o fator diferenciação. Na sociedade de consumo a invenção e inovação resulta não só na criação de novos produtos mas também na melhoria dos produtos já existentes.

Não são só as empresas que investem em inovação também o Estado é responsável por uma grande quota parte do investimento em particular na questão da saúde,

Na atualidade, a investigação assume um papel de extrema importância na competitividade pois o desenvolvimento de novos produtos e processos produtivos ocorre com uma frequência cada vez mais curta. A aposta no I&D é crucial na questão da produtividade e da competitividade.

 

 

Poupança intervenientes

Poupança intervenientes

As famílias geram poupanças por vários motivos:

Especulação

A aplicação do rendimento pode ser feita de forma especulativa, adquirindo algo por um determinado valor e mais tarde vender por um valor superior fazendo aumentar o capital inicial.

Despesa Futura (investimento/consumo)

O desejo de adquirir algo dispendioso implica a existência de uma poupança durante um determinado período de tempo até perfazer a quantia necessária.

Precaução (incerteza)

A incerteza quanto ao futuro pode ser uma causa para a poupança. O receio de falta de fontes de rendimento no futuro ou a necessidade de precaução contra o aparecimento de despesas inesperadas leva-as a reservarem uma quantia no presente, como meio de precaução.

Mas também as empresas efetuam poupanças para poderem realizar investimentos futuros,

 

Sociedade de consumo e a poupança

Sociedade de consumo e a poupança

A sociedade consumista tem um impacto negativos nos níveis de poupança.

O consumismo das famílias, faz com que o rendimento disponível seja maioritariamente gasto em despesas de consumo diminuindo desta forma os níveis de poupança.

Sociedade de consumo e a poupança

Sociedade de consumo e a poupança

Exercícios sobre poupança e investimento

Exercícios sobre poupança e investimento

  1. O investimento que é realizado em Portugal por agentes económicos estrangeiros que investem directamente numa economia local é uma forma de …
    1. IPCH
    2. IDE
    3. IPC
    4. IDH
  2. Um dos motivos que pode levar uma família a realizar poupanças é…
    1. os salários
    2. o valor dos empréstimos concedidos
    3. os prémios de seguro
    4. o valor dos bens e serviços que consomem
  3. A parte do rendimento disponível dos particulares que é consagrada à poupança pode ser utilizada de várias formas, nomeadamente pode ser aplicada….
    1. na actividade produtiva e em acções públicas de solidariedade
    2. através de colocação financeira, entesouramento e investimento
    3. a longo prazo, na aquisição a crédito de bens imobiliários
    4. a curto prazo, na aquisição a crédito de bens de consumo duradouro
  4. A remuneração que é considerada antes de se descontarem os impostos e as contribuições para a Segurança Social que os indivíduos têm de pagar ao Estado é…
    1. salário iliquido
    2. salário real
    3. rendimento disponível
    4. salário líquido
  5. A canalização da poupança para a manutenção ou aumento da capacidade produtiva das unidades de produção denomina-se….
    1. financiamento
    2. investimento
    3. entesouramento
    4. colocação financeira
  6. a aquisição de bens tangíveis designa-se
    1. investimento de substituição
    2. investimento material
    3. investimento de capacidade
    4. investimento imaterial
  7. O investimento corresponde, em parte, à aplicação das poupanças das famílias, das administrações públicas e das sociedades na criação de novo capital fixo. Assim, constitui exemplo de investimento.
    1. a ampliação dos escritorios realizada pelas sociedades não financeiras
    2. a venda de obrigações no mercado de títulos realizada pelas sociedades financeiras
    3. a compra de um veículo automóvel utilitário realizada pelas famílias
    4. a constituição de um depósito, por um período de um ano, realizada pelas administrações públicas.
  8. Uma determinada empresa, para modernizar as suas instalações fabris, pretende solicitar um empréstimo bancário a uma instituição financeira nacional. A obtenção desse empréstimo pela empresa constitui um financiamento…
    1. externo directo da sua actividade
    2. externo indirecto da sua actividade
    3. interno indirecto da sua actividade
    4. interno directo da sua actividade
  9. Na atualidade a expressão «desmaterialização da moeda», aparece associada à:
    1. desvalorização da moeda em circulação
    2. perda do suporte físico da moeda
    3. subida generalizada dos preços
    4. diminuição do rendimento disponível
  10. Suponha que uma família possui em determinado momento, uma casa, um carro e uma certa quantia em dinheiro em depósitos bancários. O conjunto destes activos, que a familia possui neste momento é considerado como..
    1. riqueza
    2. investimento
    3. poupança
    4. capital
  11. O IDE resulta de:
    1. poupanças internas;
    2. poupanças do Estado nacional;
    3. poupanças nacionais aplicadas no estrangeiro
    4. poupanças externas aplicadas no território nacional.
  12. A bolsa de valores é um mercado onde podem ser transaccionados títulos
    1. imobiliários que garantem aos seus titulares o recebimento de dividendos
    2. representativos do capital social de várias empresas
    3. representativos de empréstimos emitidos apenas por empresas públicas
    4. imobiliários que garantem sempre aos seus titulares rendimentos elevados.
  13. Uma destas funções não pertence aos bancos comerciais
    1. emitir cartões de crédito;
    2. alugar cofres;
    3. emitir e gerir cartões de débito;
    4. produzir papel-moeda.
  14. Num dado país, em 2014, verificou-se uma subida das taxas de juro ativas praticadas pelos bancos. Mantendo-se tudo o resto constante, esta situação poderá contribuir para.
    1. um aumento dos depósitos a prazo dos particulares.
    2. uma diminuição do recurso ao crédito pelos particulares.
    3. um aumento dos juros recebidos pelos particulares.
    4. uma diminuição do rendimento disponível dos particulares.
  15. O Investimento só é possível se houver poupança
    1. A poupança é condição necessária e suficiente para a continuidade do processo produtivo;
    2. A poupança, seja qual for o seu destino, contribui para o crescimento económico;
    3. Ao conjunto das despesas efetuadas em bens de produção não duradouros chamamos Formação Bruta de Capital Fixo;
    4. O investimento é constituído pelo conjunto despesas em bens de capital, quer os bens sejam duradouros ou não duradouros.