Tag Archives: explicações economia Odivelas

Questões de revisão – Rendimentos e Repartição dos Rendimentos

Questões de revisão – Rendimentos e Repartição dos Rendimentos

Questões de revisão - Rendimentos e Repartição dos Rendimentos

Questões de revisão – Rendimentos e Repartição dos Rendimentos

  1. A remuneração pela cedência temporária de uma determinada quantia em dinheiro intitula-se…
    1. Juro.
    2. Taxa de câmbio.
    3. Credito.
    4. Unidade de participação
  2. A curva de Lorenz permite constatar…
    1. As desigualdades na repartição pessoal dos rendimentos.
    2. O rendimento médio anual recebido por cada habitante.
    3. A quantidade média de bens e serviços que cada habitante adquire.
    4. O peso do factor trabalho no valor do produto.
  3. O salário real…
    1. Corresponde ao total das remunerações do trabalhador depois de se deduzirem os impostos e contribuições sociais.
    2. Corresponde ao poder de compra do salário nominal.
    3. Corresponde ao rendimento pessoal disponível.
    4. Corresponde à quantidade de moeda que um indivíduo recebe em troca de trabalho.
  4. Sabendo que o leque salarial de um país representa a relação que existe entre o salário máximo e o salário mínimo desse país, através da sua análise podemos tirar conclusões sobre…
    1. A dispersão dos rendimentos primários;
    2. A convergência dos níveis de rendimento de diversos países.
    3. O número de vezes que o salário máximo é superior ao salário mínimo.
    4. A disparidade entre os rendimentos de capital.
  5. Os salários, as rendas, os juros e os lucros constituem…
    1. Rendimentos primários;
    2. Receitas correntes;
    3. Rendimentos secundários;
    4. Receitas extraordinárias.
  6. Sabendo que, o ano x, o índice de Preços no Consumidor foi 103 e que no ano seguinte passou a ser 105, calculando a taxa de inflação do ano (x+1), ficamos a saber que esta era aproximadamente…
    1. 0,019%
    2. 9,8%
    3. 1,9%
    4. 2%
  7. O processo que visa corrigir as desigualdades provocadas pela repartição dos rendimentos designa-se…
    1. Repartição primária;
    2. Redistribuição do rendimento.
    3. Leque salarial.
    4. Formação bruta de capital fixo.
  8. Os impostos indiretos…
    1. Recaem sobre a utilização do rendimento.
    2. Recaem sobre o rendimento.
    3. Recaem sobre a produção.
    4. Incidem sobre as vendas.
  9. O aumento dos salários nominais dos trabalhadores implica, necessariamente, um aumento do seu salário real. Esta afirmação é …
    1. Verdadeira, porque com o aumento dos salários nominais os trabalhadores recebem mais dinheiro.
    2. Falsa, porque a inflação pode ser superior ao aumento dos salários nominais.
    3. É verdadeira, porque o aumento dos salários nominais implica um aumentos do nível de vida.
    4. Falsa, porque não existe qualquer relação entre salário nominal e salário real.
  10. O leque salarial…
    1. Traduz o nível de concentração dos rendimentos de um país.
    2. Traduz a amplitude da variação entre o salário mínimo e máximo.
    3. Permite calcular o rendimento pessoal disponível das famílias.
    4. Permite calcular o salário real das famílias.

 

 

  1. O lucro é…
    1. A diferença entre o preço de venda e o valor dos impostos pagos.
    2. Uma forma de rendimento do dinheiro emprestado.
    3. O valor de venda dos bens pelas empresas.
    4. Uma das formas de remuneração do capital investido.
  2. Constituem formas de remuneração do fator capital…
    1. Os salários, as rendas e os juros;
    2. As rendas, os juros e os lucros;
    3. Os salários e os empréstimos;
    4. Os impostos e as contribuições para a Segurança Social
  3. A remuneração que é considerada antes de se descontarem os impostos e as contribuições para a Segurança Social que os indivíduos têm que pagar ao Estado é…
    1. Salário ilíquido;
    2. Salário real;
    3. O rendimento disponível;
    4. O salário líquido.

 

  1. A repartição funcional do rendimento…
    1. Permite analisar a composição dos rendimentos por agregado familiar.
    2. Considera a divisão do rendimento segundo a profissão do agente.
    3. É a distribuição do rendimento que ocorre de acordo com as funções desempenhadas por cada interveniente na atividade económica.
    4. Considera a divisão do rendimento segundo o estrato social do agente.
  2. O salário que resulta depois de se deduzirem os impostos e as contribuições sociais ao salário bruto denomina-se salário…
    1. Ilíquido.
    2. Líquido.
    3. Real .
    4. Nominal.

 

 

 

 

  1. Os impostos que recaem diretamente sobre o rendimento e o património designam-se por…
    1. Impostos diretos;
    2. Impostos indiretos;
    3. Taxa social única;
    4. Contribuições para a Segurança Social.
  2. O conjunto de operações, realizadas numa lógica social, com o objetivo de corrigir as desigualdades decorrentes da repartição primária dos rendimentos designa-se…
    1. Justiça social.
    2. Redistribuição dos rendimentos.
    3. Estado de direito.
    4. Estado – providência.
  3. O salário real…
    1. É superior ao salário nominal.
    2. Representa a quantidade recebida em troca da força de trabalho.
    3. É inferior ao salário nominal.
    4. Traduz o nível de vida e o poder de compra dos indivíduos.

 

 

  1. Consideram-se rendimentos primários…
    1. Os impostos e as contribuições para a Segurança Social.
    2. Os salários, as rendas, os juros e os lucros.
    3. As transferências sociais.
    4. As reformas dos emigrantes.

 

 

  1. A repartição pessoal do rendimento…
    1. Permite analisar a composição dos rendimentos por agregado familiar.
    2. Considera a divisão do rendimento segundo a profissão do agente
    3. É a distribuição do rendimento que ocorre de acordo com as funções desempenhadas por cada interveniente na atividade económica.
    4. Considera a divisão do rendimento segundo o estrato social do agente.
  2. A curva de Lorenz..
    1. Permite comparar a repartição pessoal dos rendimentos de um país em várias épocas ou com países diferentes.
    2. Serve para analisar a repartição funcional do rendimento.
    3. Permite analisar a evolução da formação bruta de capital fixo durante um ano.
    4. Serve para comparar o investimento direto estrangeiro com o investimento direto português no estrangeiro.
  3. A forma de salário que representa a quantidade de moeda que um indivíduo recebe em troca do seu trabalho designa-se…
    1. Salário nominal
    2. Salário bruto.
    3. Salário real.
    4. Salário ilíquido.

 

 

  1. O rendimento pessoal disponível resulta…
    1. Da remuneração auferida pelas famílias pela sua participação na atividade económica.
    2. Da soma dos rendimentos primários com os secundários deduzida dos impostos e das contribuições sociais.
    3. Do rendimento pessoal deduzido dos impostos e das contribuições sociais.
    4. Dos rendimentos primários acrescidos das transferências sociais.
  2. As curvas de Lorenz permite estudar…
    1. O grau de concentração dos rendimentos.
    2.  O impacto da inflação no poder de compra de uma população.
    3. O nível de endividamento dos indivíduos de uma região.
    4. A evolução dos stocks de existências ao longo de um ano.

 

  1. O leque salarial permite medir…
    1. O salário médio de um país.
    2. O valor do salário real.
    3. A desigualdade nos salários.
    4. A desigualdade entre países.
  2. O instrumento de análise estatística que permite comparar a repartição pessoal dos rendimentos de um país, em diferentes épocas ou com outros países, designa-se…
    1. Leque salarial.
    2. Curva de Lorenz
    3. Orçamento de Estado.
    4. Salário mínimo
  3. É exemplo de um imposto direto…
    1. Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS).
    2. Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA).
    3. Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP).
    4. Imposto sobre o Tabaco (IT).
  4. Contabilizam-se como parcelas positivas no cálculo do Rendimento Pessoal Disponível…
    1. Os rendimentos primários e as remessas dos emigrantes.
    2. As quotizações sociais e os impostos diretos.
    3. Os impostos diretos e os rendimentos primários.
    4. As remessas dos emigrantes e as quotizações sociais.
  5. Os salários reais aumentam se…
    1. Os salários nominais subirem o mesmo que os preços.
    2. Os salários nominais subirem menos do que os preços.
    3. Os salários nominais se mantiverem e os preços descerem.
    4. Os salários nominais se mantiverem e os preços estagnarem.
  6. A remuneração que os proprietários recebem por cederem terrenos para a atividade produtiva designa-se por…
    1. Salário.
    2. Lucro.
    3. Juro.
    4. Renda.

 

 

  1. Os rendimentos primários, recebidos pelos agentes económicos em consequência da sua participação no processo produtivo, são constituídos por…
    1. Rendas, juros, lucros e salários.
    2. Rendas, lucros, remessas e transferências.
    3. Salários, juros, subsídios e remessas.
    4. Salários, rendas, subsídios e lucros.
  2. O rendimento disponível das famílias aumenta (permanecendo tudo o resto constante) se…
    1. Diminuir a taxa de juro dos empréstimos.
    2. Diminuir o valor dos impostos diretos.
    3. Aumentar o valor dos impostos indiretos.
    4. Aumentar a taxa de inflação.
  3. O leque salarial é um indicador…
    1. Do nível dos salários reais.
    2. Da desigualdade nos salários.
    3. De relação entre salários de diferentes países.
    4. Do valor do salário médio.
  4. O poder de compra das famílias resulta da relação do seu rendimento disponível com…
    1. O tipo de bens que adquirem.
    2. O nível geral dos preços no consumidor.
    3. A sua capacidade de poupança.
    4. O grau de satisfação das suas necessidades.
  5. O pagamento de lucros aos acionistas de uma empresa de transporte integra-se na atividade económica designada por:
    1. Distribuição;
    2. Repartição dos rendimentos;
    3. Produção;
    4. Redistribuição de rendimentos.

 

 

Exercícios de Cálculo Financeiro

Exercícios de Cálculo Financeiro

Exercícios de Cálculo Financeiro

Exercícios de Cálculo Financeiro

  1. Determine, o valor do capital acumulado por uma unidade de 100 000€, durante 10 anos, à taxa de 10%.
  2. Determine o valor atual de uma renda de 50 000,00€, depositada à taxa de 7,59, durante 20 anos.
  3. Determine a taxa de uma renda anual de 100 000,00€ que, durante 30 anos se transforma no capital acumulado de 18 088 149, 425€
  4. Determine o período de investimento de uma renda anual de 60 000,00€ que à taxa de 20% tem o valor atual de 251 548,33€
  5. Determine o valor atual de uma renda antecipada de 15 000,00€, à taxa de 15%, durante 15 anos.
  6. Calcule, o valor acumulado de uma renda antecipada de 20 000,00€, à taxa de 20%, durante 20 anos.
  7. Considere uma renda de 25 termos mensais de 10 000,00€ cada, cujo primeiro vencimento se dá a 1/1/2017. Determine o valor atual relativo a 1/1/2915, considerando uma taxa de 20%.
  8. Determine o valor do capital acumulado por uma unidade de 400 000,00€ durante 20 anos à taxa de 15%.
  9. Determine o valor atual de uma renda de 25 000,00€, depositada à taxa de 20% durante 6 anos.
  10. Qual é o valor atual de uma renda antecipada de 28.000,00€  à taxa de 7%, durante 8 anos?
  11.  O José contraiu um empréstimo no valor de 32 000,00€, por um prazo de 8 meses, em regime de juro simples, à taxa de 6%.
    1. Qual o juro a pagar na data do reembolso do capital?
    2. Qual o montante do reembolso?
  12.  A sociedade Rodrigo e Diogo Lda, contraiu um empréstimo em 5 prestações em 5 de Janeiro, 5 de Abril, 5 de Agosto e 5 de Dezembro do ano n. Este 5 pagamentos constituem uma renda? Justifique.
  13.  Um comerciante, para poder alargar a sua atividade, precisava de 100 000,00€. Conseguiu que lhe emprestassem essa quantia, durante 2 anos, a juro antecipado à taxa anual de 20%. Determine a taxa real do empréstimo.
  14. Determinado indivíduo pagou 300 000,00€ de juros antecipados, à taxa anual de 18%, por um empréstimo com a duração de 4 meses.
    1. Determine, o capital recebido (capital atual)
    2. Determine, o capital pedido (capital nominal).

O que é a produtividade?

O que é a produtividade?

O que é a produtividade?

O que é a produtividade?

A produtividade indica a eficácia com a qual estamos a utilizar os diversos fatores de produção.

A produtividade mostra-nos a relação entre uma certa quantidade de produto e a quantidade de um ou mais fatores afetados à sua produção. A produtividade permite, conhecer o valor da produção por unidade de recurso utilizada.

Desta forma a produtividade mede-se pela quantidade produzida ou o seu valor em função da quantidade ou valor dos fatores utlizados.

Podemos falar em produtividade do trabalho, de uma máquina ou de uma superfície de terra.

A produtividade é um indicar muito importante para podermos analisar a saúde de uma economia.

Cálculo da produtividade

Produtividade média do trabalho = Quantidade de produto obtido / quantidade do fator trabalho utilizado (horas de trabalho ou nº de trabalhadores)

ou  (valor do produto obtido / valor do trabalho empregue)

Produtividade média do capital = quantidade de produto obtido / quantidade de capital técnico utilizado

ou

valor do produto obtido / valor do capital técnico utilizado

Quando estabelecemos a relação entre o valor total da produção e o valor total dos recursos para a obter, temos a produtividade total.

Quando se calcula a produtividade, sempre que se passa a usar mais uma unidade do fator trabalho ou do fator capital, obtemos a produtividade marginal.

 

Explicações Economia Low Cost

Explicações Economia  Low Cost

Explicações Economia Low Cost

Explicações Economia Low Cost

temos um site de apoio para os alunos: http://www.explicacoeseconomia.com.pt

Explicações Economia Odivelas

Preparação para o Exame Nacional de Economia

Vais fazer exame Nacional de Economia?

A Kids.com tem um horário low cost para preparação intensiva para o Exame Nacional – Pack intensivo.

Por apenas 9,60€ + IVA por hora individual,

Terça, Quarta e Sexta das 16:00 -17:30, exclusivo para Odivelas.

Aulas personalizadas com apoio multimédia, também temos aulas online para alunos que estejam mais longe.

Ultimas reservas, aproveite já esta oportunidade e faça a preparação para o seu exame.

Local:

Rua Vieira da Silva, lote 11, loja b, Quinta Nova, 2675-209 Odivelas

visite-nos: www.explicacoesodivelas.pt

Contactos:

telem. 91 818 70 95, 21 931 23 97

email: info@kids.com.pt

Classificação dos bens económicos

Classificação dos bens económicos

 

Os bens económicos podem ser classificados quanto à sua natureza, função, duração ou relações que estabelecem entre si.

Os bens económicos são aqueles que se adequam às nossas necessidade mas pelo facto de serem escassos implicam o pagamento de um valor para a sua aquisição.

Os bens livres pelo contrário dada a sua abundância, não implicam qualquer custo,

Quanto à natureza

Bens materiais: São todos os objetos tangíveis, isto é, que assumem uma forma física, como um carro, um computador ou uma bicicleta.

Bens imateriais ou serviços: São aqueles que são prestados através do trabalho e que não assumem a forma material, como, por exemplo, uma consulta de um dentista ou a ida a um fisioterapeuta.

Quanto à sua função

Bens de produção: São os bens que se incorporam no processo de fabrico de outros, sendo considerados de consumo intermédio, por exemplo, o couro para fazer calçado.

Bens de consumo, são bens que se destinam à satisfação das necessidades dos consumidores.

Quanto à duração:

Bens duradouros são aqueles em que a sua utilidade não se extingue após uma utilização, Por exemplo um automóvel.

Bens não duradouros são aqueles cuja utilidade é extinta numa única utilização. Por exemplo: um bolo.

Quanto à sua relação:

Bens complementares são bens que não podem ser dissociados um do outro, por exemplo: Isqueiro e o cigarro;

Bens substituíveis: são bens que satisfazem as mesmas necessidades daí podem ser substituídos um pelo outro.

 

Questões saídas em Exame 1

Questões saídas em Exame 1

Questão nº1

Leia o texto que se segue.

Os economistas aprenderam que taxas de inflação elevadas têm um efeito corrosivo sobre as economias de mercado. Nos períodos de aumento mais rápido dos preços, a moeda perde o seu valor, as pessoas ficam confusas, cometem erros e gastam muito do seu tempo a preocuparem-se com o facto de a inflação corroer os seus rendimentos.

Samuelson e Nordhaus, Economia, 1999 (adaptado)

Identifique e explicite os dois efeitos da inflação a que o texto se refere.

Questão nº 2

Leia o texto que se segue

Pensemos na procura de gelado. Como decidimos quantos gelados comprar por mês e que fatores influenciam a nossa decisão? Se o preço do gelado aumentar de 70 cêntimos para um euro a unidade, poderemos optar por comprar uma quantidade de gelados, ou poderemos ainda tomar a decisão de o substituir por iogurte congelado, cujo preço se manteve e que satisfaz a mesma necessidade.

N. Gregory Mankiw, Introdução À Economia 1999 (adaptado)

Questão nº3

Usando uma cana de pesca em vez de pescar à mão, o tempo gasto torna-se mais produtivo, resultando numa maior quantidade de capturas por dia, Usando ainda mais capital, sob a forma de redes e de barcos de pesca, a atividade torna-se suficientemente produtiva para alimentar muitas pessoas.

Samuelson e Nordhaus, Economia 1999 (adaptado)

Indique dois fatores de produção além do mencionado no texto

Questão nº4

Leia o texto que se segue

As despesas e as receitas do Orçamento de Estado traduzem sempre escolhas e produzem sempre efeitos ao nível económico e social, nomeadamente, em termos de promoção da equidade e da estabilidade económica. Por exemplo, se o Estado aumentar a tributação sobre o rendimento das Famílias, tal irá gerar efeitos sobre a atividade económica e alterar a repartição pessoal dos rendimentos.

Paulo Trigo Pereira et. al., Economia e Finanças Públicas, 2010 (adaptado)

Explicite, com base no texto, o papel do Orçamento do Estado como instrumento de intervenção económica e social.

Questão nº5

Leia o texto que se segue

No mercado perfeitamente concorrencial das laranjas, todos os vendedores transacionam exatamente o mesmo bem e quer compradores quer vendedores estão na posse de toda a informação. Neste mercado, cada um dos agricultores deseja vender as laranjas pelo preço mais alto e, assim, se o conseguissem aumentar os seus lucros. Contudo, se algum dos agricultores pedisse, pelas laranjas, um preço mais elevado do que o preço de mercado, perderia todas as vendas.

Joseph E. Stiglitz e Carl E. Walsh, Introdução à Microeconomia Rio de Janeiro, Campus, 2003, p. 24 (adaptado)

Explique com base nas duas características da estrutura do mercado perfeitamente concorrencial implícitas no texto, a impossibilidade de vender a um preço superior ao preço de mercado.

 

 

 

Preparação 1ª Fase Exame Nacional de Economia Q.Nova

Preparação 1ª Fase Exame Nacional de Economia Q.Nova

Preparação 1ª Fase Exame Nacional de Economia Q.Nova

Preparação 1ª Fase Exame Nacional de Economia Q.Nova

Explicações de Economia  em Odivelas

Aulas personalizadas de preparação para Testes e Exame Nacional de Economia

Explicações de Economia na Pontinha

Explicações de Economia na Pontinha

Visite o nosso site de apoio: www.explicacoeseconomia.com.pt

Explicações de Economia 10º e 11º ano na Pontinha

Professores experientes e muito competentes.

Boa taxa de sucesso em anos anteriores

Quem somos

A Kids.com é uma empresa especializada em aulas particulares nos nossos centros e ao domicílio.

Desde 2004 que ajudamos os nossos alunos a melhorarem o seu desempenho e a atingirem o sucesso escolar !

Sabemos bem como a aposta no futuro é necessária. Assim sendo, a Kids.com é um centro de ensino que promove explicações, cursos de informática e cursos de línguas para pessoas de todas as idades.

Os Centros de Estudos Kids.com dispõem de uma vasta equipa de professores multidisciplinares, que permite abranger várias áreas de ensino.

As aulas são realizadas individualmente no nosso espaço em frente à Escola Secundária Braamcamp Freire, na Pontinha, nas instalações da papelaria Cruza Rituais.

Reserve já a sua inscrição

Preços

14,00€ + IVA por hora individual

Pack intensivo 10h +2h semana (3 horas semanais)

One + One

2 amigos = 50% de desconto para cada

(promoção não acumulável com outras existentes)

Estamos abertos todo o ano de Segunda a Sábado, inclusive durante o período de férias escolares.

Onde Estamos

Estamos agora em mais locais para estarmos mais próximos de si: Odivelas, Loures, Pontinha, Ramada,Colinas do Cruzeiro, Frielas, Santo António dos Cavaleiros, Santo António dos Cavaleiros, Póvoa Sto Adrião, Caneças e Casal de Cambra… Também temos aulas ao domicílio, Concelhos de Loures, Odivelas, Amadora e Lisboa.

Contactos

91 818 70 95, 21 931 23 97

email: info@kids.com.pt

visite-nos: http://explicacoesodivelas.pt

Preparação 1ª Fase Exame Nacional de Economia Odivelas

Preparação 1ª Fase Exame Nacional de Economia Odivelas

Preparação 1ª Fase Exame Nacional de Economia Odivelas

Preparação 1ª Fase Exame Nacional de Economia Odivelas

Explicações de Economia  em Odivelas

Aulas personalizadas de preparação para Testes e Exame Nacional de Economia

Explicações de Economia na Pontinha

Explicações de Economia na Pontinha

Visite o nosso site de apoio: www.explicacoeseconomia.com.pt

Explicações de Economia 10º e 11º ano na Pontinha

Professores experientes e muito competentes.

Boa taxa de sucesso em anos anteriores

Quem somos

A Kids.com é uma empresa especializada em aulas particulares nos nossos centros e ao domicílio.

Desde 2004 que ajudamos os nossos alunos a melhorarem o seu desempenho e a atingirem o sucesso escolar !

Sabemos bem como a aposta no futuro é necessária. Assim sendo, a Kids.com é um centro de ensino que promove explicações, cursos de informática e cursos de línguas para pessoas de todas as idades.

Os Centros de Estudos Kids.com dispõem de uma vasta equipa de professores multidisciplinares, que permite abranger várias áreas de ensino.

As aulas são realizadas individualmente no nosso espaço em frente à Escola Secundária Braamcamp Freire, na Pontinha, nas instalações da papelaria Cruza Rituais.

Reserve já a sua inscrição

Preços

14,00€ + IVA por hora individual

Pack intensivo 10h +2h semana (3 horas semanais)

One + One

2 amigos = 50% de desconto para cada

(promoção não acumulável com outras existentes)

Estamos abertos todo o ano de Segunda a Sábado, inclusive durante o período de férias escolares.

Onde Estamos

Estamos agora em mais locais para estarmos mais próximos de si: Odivelas, Loures, Pontinha, Ramada,Colinas do Cruzeiro, Frielas, Santo António dos Cavaleiros, Santo António dos Cavaleiros, Póvoa Sto Adrião, Caneças e Casal de Cambra… Também temos aulas ao domicílio, Concelhos de Loures, Odivelas, Amadora e Lisboa.

Contactos

91 818 70 95, 21 931 23 97

email: info@kids.com.pt

visite-nos: http://explicacoesodivelas.pt

Aulas de economia em sua casa Odivelas

Aulas de economia em sua casa Odivelas

Aulas de economia em sua casa Odivelas

Aulas de economia em sua casa Odivelas

Aulas de economia em sua casa

Explicações em sua Casa: Odivelas, Loures, Benfica, Telheiras, Lumiar, Parque das Nações, Lisboa

Preparação Exames Nacionais 2016 2ª Fase

A kids.com apresenta uma série de soluções para a sua preparação para os Exames Nacionais:

Explicações Domicílio

Soluções à sua medida

Aulas individuais

Aulas em grupo – One plus One

Happy Hour – horários económicos

Pacotes intensivos de aulas

Equipa de professores

Experientes

Com bons resultados comprovados

Locais de Formação:

Domicílio (grande Lisboa e arredores), Benfica, Telheiras, Lumiar,Parque das Nações, Loures, Odivelas, Pontinha, Amadora, Carnide, Alfornelos,etc.

Odivelas

Pontinha

Loures

Santo António dos Cavaleiros

Póvoa Sto Adrião

Caneças

Casal de Cambra

Disciplinas

Todas as disciplinas

Secundário

3º Ciclo

Preparação Maiores 23 Anos

A kids.com tem uma equipa de professores experientes que apoiam os alunos no processo de exame para acesso aos Maiores 23 anos

Onde Estamos

http://kids.com.pt/quem-somos/contatos/locais-de-formacao/

http://kids.com.pt/quem-somos/contatos/como-chegar-ate-nos/

Funcionamos durante todo o ano inclusive durante o período de férias escolares.

Contacte-nos:

Telm. 91 818 70 95, tel. 21 931 23 97 email: info@kids.com.pt

Visite-nos: www.aulasaodomicilio.com

 

A defesa dos consumidores em Portugal e na UE

   A defesa dos consumidores em Portugal e na UE

 

A defesa dos consumidores em Portugal e na UE

A defesa dos consumidores em Portugal e na UE

A defesa do consumidor está relacionada com o consumerismo

Consumerismo visa a promoção dos interesses dos consumidores, o aprofundamento dos seus direitos e a defesa da qualidade de vida e dos valores sociais.

Existe uma lei de defesa do Consumidor que considera 3 artigos:

 

Art. 1 – Dever Geral de proteção ao consumidor

Art. 2 – Definição de Consumidor

Art. 3 – Direitos do consumidor, dos quais:

– Qualidade dos bens e serviços

– Informação para o consumo

– Formação E educação para o consumo

– Proteção jurídica e justiça acessível e pronta

 

Art. 21 – Instituto do Consumidor

A responsabilidade social dos consumidores exige a mudança de hábitos e o cumprimento de deveres cívicos.