Concorrência Monopolistica

Concorrência Monopolistica

A concorrência monopolística carateriza-se pela existência de um grande nº de empresas que comercializam produtos do mesmo género, mas que se diferenciam uns dos outros, pela marca, pela publicidade ou outra caraterística específica que os distingue. Nestes casos, é fundamental o elemento diferenciador dos bens que se encontram à venda no mercado, pois é esse o fator que irá fidelizar cada cliente a um certo tipo de produto.

Na concorrência monopolística existe algum controlo por parte dos vendedores sobre o preço dos bens; contudo, não é um mercado de entrada difícil, as novas empresas conseguem aceder-lhe sem grandes obstáculos.

Nos dias de hoje, é uma forma de concorrência muito frequente, levando as empresas a utilizar as mais variadas estratégias para conseguirem criar um elemento diferenciador nos seus produtos e fazer com que os consumidores os escolham.

O elemento diferenciador está na diferenciação do produto.

Estamos perante produtos diferenciados que, apesar de tudo, são sucedâneos.

exemplos: vinho, refrigerantes,gelados, bombas de gasolina, bebidas espirituosas e as diferentes marcas ou gamas do mesmo produto.

A curto prazo a empresa comporta-se como o monopolista. Entretanto, existem outras empresas que, produzindo produtos diferentes, exercem pressão sobre o mercado deste bem.

O plano de vendas de uma empresa em concorrência monopolística considera uma curva de vebdas decrescente mas não muito afastada da horizontal, o que significa que uma pequena variação de preço gera uma grande variação nas vendas esperadas.

Cada vendedor tem alguma liberdade para manejar o preço, mais do que num mercado de concorrência perfeita.

O equilíbrio da empresa será dado por: R’ = C’

A curto prazo, o preço que maximiza o lucro é p1, que é superior ao custo médio, por isso existem lucros anormais.

A área tracejada representa o lucro anormal

Com a entrada de novos concorrentes no mercado, a curva da procura dirigida às empresas existentes desloca-se para a esquerda.

A longo prazo há uma tendência para o desaparecimento dos lucros anormais, pois a livre entrada de numerosos concorrentes monopolísticos elimina o lucro anormal.

No equilíbrio de longo prazo os preços estão acima dos custos marginais, mas os lucros económicos (ou anormais) estão reduzidos a zero.

As empresas, vão tentar recuperar os lucros anormais, recorrem a campanhas de publicidade, adaptam um produto ou variedade diferente.

A diferenciação do produto, ajustando variedades à diversidade de gostos ou necessidades dos compradores constitui um benefício social.

A diferenciação dos produtos e a sua publicidade fornece vitalidade ao mercado, sendo a base do seu poder. Permite satisfazer a ampla diversidade de gostos e preferências existentes nas economias contemporâneas.

A diferenciação dos produtos ajuda ainda a obter uma elevada qualidade na produção e a publicidade pode facultar aos consumidores uma valiosa informação sobre as características e disponibilidade dos bens e serviços.

A comparação entre os equilíbrios de concorrência perfeita e monopolística mostra a ineficiência social da concorrência monopolística, porque o preço é mais alto, a utilização da capacidade produtiva é menor e o custo maior.