Category Archives: Produção

População ativa e inativa

População ativa e inativa

População ativa e inativa

População ativa e inativa

População ativa representa todos os indivíduos que desempenham atividades remuneradas ou os que embora não estejam empregados se encontrem à procura de emprego.

População inativa é composta por todas as pessoas que não desempenham atividades remuneradas onde se incluem os indivíduos com idade inferior a 15 anos ou superior a 64 anos. Os estudantes, as donas de casa, os deficientes, os inválidos, as crianças, os reformados ou os pensionistas fazem parte da população inativa.

A procura e a lei procura

A procura e a lei procura

Representa a quantidade que é procurada no mercado.

A lei da procura representa a relação entre a procura de um bem ou serviço e o seu respetivo preço.

Procura é a quantidade que os consumidores estão disponíveis para adquirir determinado produtos para determinado preço.

Existe uma relação inversa entre o preço  e a quantidade procurada.

O preço maior implica uma diminuição da procura

O preço menor implica um aumento da procura.

A Lei da procura é representada por um gráfico que apresenta uma curva decrescente.

Lei da procura

aumenta o preço  diminui a quantidade procurada.

diminui o preço aumenta a quantidade procurada.

Procura individual: a procura de cada consumidor.

Procura agregada: o somatório de todas as procuras individuais.

Fatores que influenciam a procura

O Rendimento dos consumidores: Quando o rendimento aumento existe uma forte relação com o  aumento da procura.

Bens inferiores: é uma exceção porque quando rendimento aumenta estes deixam de ser procurados. Estão associados muitas vezes com baixo status social.

Preferências dos consumidores:

Estão ligados à tradição., publicidade e a religião.

Por exemplo uma loja macdonalds em Portugal tem produtos em relação a Israel.

Dimensão de mercado

Está relacionado com a demografia de um determinado país.

Preços de outros bens

Bens sucedâneos e os bens complemenntares

 

 

 

Classificação dos tipos de capital

Classificação dos tipos de capital

Diferentes tipos de capital

Capital técnico: Divide-se em capital circulante e capital fixo. O capital circulante inclui os meios de produção incorporados no processo produtivo de outros bens que desaparecem por completo após a sua utilização (matérias-primas, combustíveis, etc.). Capital fixo: inclui os meios de produção que podem ser utilizados várias vezes, embora sofram algum desgaste com o passar do tempo e o uso (equipamentos, edifícios, meios de transporte, etc.).

Capital financeiro: Capital próprio: representa os meios financeiros que pertencem aos proprietários da unidade produtiva (autofinanciamento).

Capital alheio: são os meios financeiros que, embora não pertençam à unidade produtiva, se encontra à sua disposição (crédito bancário, etc.).

Capital Humano: Compreende o conjunto de aptidões humanas para trabalhar que inclui a experiência e os conhecimentos dos indivíduos. O capital humano é valorizado sempre que há investimentos na formação ou na saúde dos recursos humanos.

Capital Natural:  Compreende os recursos naturais que se encontram disponíveis. O Capital natural deve ser utilizado de forma racional para não colocar em risco o desenvolvimento sustentável do planeta.

Utilidade

Utilidade

Utilidade

Utilidade

Definição de utilidade

É medida pela capacidade que um determinado bem tem para satisfazer uma necessidade, ou a aptidão de um bem para satisfazer uma necessidade.

Definição Wikipedia

Lei da utilidade marginal decrescente

Á medida que vamos tendo mais bens, o seu contributo para a satisfação de uma determinada necessidade irá dimininuir. Existindo muitas opções muitas delas perdem a sua importância.

  • Lei das utilidades marginais decrescentes – à medida que uma pessoa consome mais de um bem, a utilidade marginal ou adicional diminui.

Por ex: Se tiver um telemóvel ele vai ter a utilidade máxima, mas se tiver 5 telemóveis vão certamente existir alguns que raramente vou utilizar.

Lei da utilidade marginal

Definição Wikipedia

Utilidade Total: Toda a utilidade obtida pelo consumidor pelo consumo de todos os bens.

Utilidade marginal:

  • Ao aumento de utilidade resultante do consumo de mais uma unidade de um bem chamamos de utilidade marginal (adicional)

Temos variação de acordo com as necessidades específicas dos consumidores.

Relação entre a utilidade e a escassez

A utilidade está relacionada com a escassez e também com a forma como é determinante a utilização de determinados bens e serviços. Por exemplo a água é um fator determinante para a agricultura, o consumo de energia é determinante para a indústria.

Á medida que consumimos mais bens a necessidade satisfeita pelos mesmos vai diminuindo. (Lei de Gossen)

Relação entre a utilidade e a procura

Existe uma relação entre a curva da procura e a curva de utilidade marginal.

Existe um carater decrescente na utilidade marginal o que confere a inclinação negativa da curva da procura.

Excedente do consumidor

Quando a utilidade adicional do bem vai diminuindo decrescendo a quantidade, o agente está disposto a pagar menos por cada unidade se comprar quantidades maiores. (utilidade marginal decrescente)

Compra-se mais por menos dinheiro.

Precisa de apoio para preparação para testes e exames

Contacte-nos: 91 818 70 95

ou

visite-nos: www.kids.com.pt

 

 

Produção

Produção

A produção é a atividade que possibilita a criação de bens e serviços que satisfazem as nossas necessidades.

Contudo existem certas questões iniciais:

O que produzir?

Em que quantidades produzir?

Para quem produzir?

Necessidades dos consumidores….

Oferta ….. Os produtores tendem a oferecer os bens e serviços que lhes dão melhor remuneração….

Os bens serviços satisfazem as necessidades dos consumidores

Recursos naturais

Recursos naturais

Consideramos recursos naturais todos os elementos que a Natureza fornece ao Homem para satisfação das suas necessidades. Estes recursos podem ser duas espécies: renováveis ou não renováveis.

Os recursos renováveis: são aqueles que não se esgotam num curto período de tempo e que por esse motivo vão sendo substituídos periodicamente, como por exemplo os recursos hídricos, florestais, etc.

Os recursos renováveis e não são muito utilizados por nós, a sua implementação exige um grande investimento e sobretudo uma mudança profunda de mentalidades e de hábitos de consumo das  pessoas.

Recursos não renováveis: são os que não podem ser repostos pela natureza em tempo útil, isto é, a sua reposição só é possível num período de tempo muito longo que não acompanha o ritmo das necessidades humanas.

Estes recursos resultam de processos muito demorados e, normalmente, a sua utilização provoca muitos danos no ambiente.

As principais fontes de energia utilizadas no nosso planeta são recursos não renováveis, como o petróleo, o gás natural ou o carvão.