Category Archives: agentes económicos

Agentes económicos e o circuito económico

Agentes económicos e o circuito económico

 

Os agentes económicos e o circuito económico

Existem 5 agentes económicos (famílias, empresas financeiras, empresas não financeiras, Estado e Resto do Mundo).

A sua interação é representada através do circuito económico

1. O circuito económico

A atividade económica corresponde a um conjunto de operações realizadas pelos agentes económicos que têm como objetivo criar bens e serviços suscetíveis de satisfazer as necessidades.

Os fluxos representam as interações entre os diversos agentes económicos.

Definição de circuito económico: Representação esquemática (modelo) dos fluxos que se estabelecem entre os diferentes agentes económicos.

Assim a atividade económica

Produção — Distribuição — Repartição dos rendimentos(salários,rendas,juros,lucros)—utilização dos rendimentos(consumo, poupança).

Os agentes económicos são todas as entidades individuais ou coletivas que desempenham uma função na atividade económica

Cada agente económico é definido de acordo com a sua função principal.

Desta maneira classificamos os agentes económicos de acordo com a sua função principal.

Desta maneira temos: as famílias, as empresas, o Estado e o Resto do Mundo.

As empresas: são os agentes económicos que se dedicam à produção de bens e serviços. Podemos ainda distinguir entre empresas financeiras e empresas não financeiras. As empresas não financeiras são aquelas que produzem os bens e serviços não financeiros (normalmente designamos apenas de empresas). por exemplo fábricas, lojas, empresas prestadoras de serviços não financeiros,

As instituições financeiras são as que comercializam produtos financeiros, como os bancos ou as seguradoras.

Famílias: neste grupo incluem-se todos os agregados familiares de um país. As famílias  constituem um agente económico porque representam uma importante  função económica o consumo.

Estado: este agente económico inclui a administração pública que tem como principal função promover a satisfação das necessidades coletivas. O Estado intervém na economia através da redistribuição dos rendimentos e do fornecimento de serviços, como a educação ou a saúde, de modo a satisfazer as necessidades da população.

Resto do Mundo: englobam-se todas as operações efetuadas entre um país e os restantes (Resto do Mundo). Aqui registam-se as transações realizadas entre os agentes económicos nacionais e os agentes económicos estrangeiros.

Nos dias de hoje é praticamente impossível falar em economias fechadas, é praticamente impossível viver sem estabelecer relações de troca com outros países.

A maior parte das económicas (nações) vive num modelo de economia aberta.

Tipo de Agentes Económicos

Tipo de agentes económicos

Tipo de agentes económicos

Os agentes económicos

Famílias: incluem todos os agregados familiares de um país. As famílias constituem um agente económico porque representam uma função económica, o consumo.

Empresas – São os agentes económicos que se dedicam à produção de bens e serviços. Dividem em dois tipos diferentes:

Empresas não financeiras: são aquelas que produzem os bens e serviços não financeiros (por exemplo: um ginásio, um restaurante, etc.)

Empresas financeiras: são aquelas que comercializam produtos financeiros, como por exemplo os bancos ou as seguradoras.

Estado: neste agente incluímos a Administração Pública, esta tem como principal função promover a satisfação das necessidades coletivas. O Estado intervém na economia através da redistribuição dos rendimentos e do fornecimento de serviços, como a educação ou a saúde, de modo a satisfazer as necessidades da população.

Resto do Mundo: englobam-se todas as operações efetuadas entre um país e o Resto do Mundo. Registam-se as transações realizadas entre os agentes nacionais e os agentes estrangeiros. Atualmente, quase não se pode falar em economias fechadas, pelo que é praticamente impossível viver sem estabelecer relações de troca com outras nações. As maioria das nações estabelece relações económicas com outros países, estabelecendo assim um modelo de economia aberta.

Funções principais dos agentes económicos

Famílias: Função principal é consumir bens e serviços.

Empresas não financeiras: Produzir bens e serviços não financeiros

Empresas financeiras: Produzem serviços financeiros

Estado: O Agente económico que gere a aplicação das leis e arbitra o circuito económico.

Exterior ou Resto do Mundo: Relações com o resto do Mundo. Realização de transações com agentes estrangeiros

Agentes económicos e principal função:

Famílias – Consumo de bens e serviços

Empresas não financeiras – produção de bens e prestação de serviços não financeiros

Instituições financeiras – prestação de serviços financeiros

Estado – fornecimento de bens e serviços que visam a satisfação das necessidades coletivas e redistribuição do rendimento.

Resto do mundo: realização de transações com agentes económicos.

Definições a ter em conta:

Circuito económico: é a representação esquemática dos fluxos que se estabelecem entre os diferentes agentes económicos.

Economia aberta: economia que estabelece relações de troca com o resto do mundo

Economia fechada: economia que procura ser autossuficiente, não efetuando transações comerciais com o exterior.

Fluxos entre agentes económicos

Os agentes económicos interagem entre si no desempenho das suas funções.

Fluxos entre agentes económicos

Fluxos entre agentes económicos

As famílias consomem os bens que as empresas não financeiras produzem e adquirem os serviços financeiros prestados pelas instituições financeiras.

Para produzirem  bens e serviços, as empresas necessitam de mão de obra. Assim, além de consumirem, as famílias também entregam a sua força de trabalho às empresas, pelo que são retribuídas com uma remuneração.

Os indivíduos que trabalham para a Administração Pública recebem do Estado os seus vencimentos.

No sentido contrário, as famílias entregam ao Estado os impostos que este cobra, bem como as respetivas quotizações sociais. O Estado aplica as verbas que recebe dos cidadãos tanto em políticas de redistribuição, através da atribuição de subsídios, como na produção de bens e prestação de serviços, procurando satisfazer o máximo de necessidades coletivas (saúde, educação, segurança pública, etc.)

As empresas também estabelecem relações com a Administração Pública. O Estado consome bens e contrata serviços às empresas mediante o correspondente pagamento, mas, por outro lado, cobra-lhes impostos e contribuições sociais.

As empresas, quando compram ou vendem ao exterior, estabelecem laços comerciais com outro agente – O Resto do Mundo.

As relações que se estabelecem entre os diferentes agentes económicos chamam-se fluxos, este podem ser reais ou monetários, conforme dizem respeito à troca de bens e serviços ou ao valor monetário dos bens e serviços transacionados.

Falamos em fluxos reais, quando nos referimos ao conjunto de bens e serviços trocados entre os diferentes agentes económicos, e em fluxos monetários, quando as transações de bens e serviços são expressas em moeda.

Por exemplo: na compra de um carro por uma família ao agente económico empresas não financeiras (stand de automóveis), o carro em si, representa um fluxo real. O dinheiro envolvido na transação representa o fluxo monetário.

Fluxo monetário: quantidade de moeda transacionada entre dois ou mais agentes.

Fluxo real: conjunto de bens e serviços transacionados entre dois ou mais agentes.

 

Complementaridade entre as atividades:

Depois de realizada a produção, procede-se à repartição dos seus resultados pelos diferentes intervenientes no processo produtivo;
Com os rendimento obtidos, as famílias irão utilizar os seus rendimentos em consumo ou poupança;
Raramente as famílias adquirem os bens e serviços de que necessitam directamente ao produtor, funcionando neste caso os distribuidores que asseguram a disponibilização dos bens nos locais de consumo.

As relações que se estabelecem entre os diferentes agentes, denominam-se fluxos, podem ser reais ou monetários, conforme dizem respeito à troca de bens e serviços ou ao valor monetário dos bens e serviços transaccionados.

Desta forma falamos de fluxos reais quando nos referimos ao conjunto dos bens e serviços trocados entre os diferentes tipos de agentes económicos e fluxos monetários quando as transações de bens e serviços são expressas em moeda.

Existe outra forma de análise que se prende com os recursos (recebimentos) e os empregos (pagamentos) de cada agente económico.

Assim para um agente económico

Empregos: registam-se os pagamentos, os fluxos que correspondem às saídas.

Recursos: aqui registam-se os recebimentos , os fluxos que correspondem às entradas.

Por exemplo o agente económico famílias:

Empregos (Pagamentos, saídas)

às empresas não financeiras:
Despesas de consumo
Investimento (cedência de capital)
às instituições financeiros
depósitos
amortização de empréstimos
juros de empréstimos
prémios de seguro
Ao Estado
impostos
contribuições para a segurança social

Recursos (recebimentos, entradas)

Das empresas não financeiras

salários (funcionários)
Rendas (proprietários de imóveis)
Lucros (empresários)

Das instituições financeiras

juros dos depósitos
ordenados (dos funcionários)
empréstimos concedidos
indemnizações (em caso de sinistro)

Do Estado

Vencimentos (funcionários públicos)
transferências sociais (pensões, subsídios)

Agente económico Empresas não financeiras

Empregos (pagamentos, saídas)

às familias

salários
rendas (cedência de imóveis)
lucros (retorno do investimentos)

As instituições financeiras

depósitos
juros de empréstimos
amortização de empréstimos
prémios de seguro
lucros (retorno do investimento)

Ao Estado

Impostos
Contribuições para a Segurança Social

Ao Resto do Mundo

Valor das importações (nacionais)

Recursos (recebimentos, entradas)

Das famílias

Despesas de Consumo
Investimento

Das instituições financeiras

investimento
juros de depósitos
empréstimos concedidos
indemnizações

Do Estado

Despesas de consumo
subsídios à produção

Do Resto do Mundo

Valor das exportações (nacionais)

Equilibrio económico

A existência do equilíbrio económico implica por um lado que os recursos de cada agente sejam simultaneamente empregos de outros agentes e que o total dos empregos dos agentes seja igual ao total dos seus recursos.

Recursos: são os fluxos que correspondem a entradas

Empregos: são os fluxos que correspondem a saídas.

Em resumo

Equilibrio económico

Total dos empregos = Total dos recursos, isto é o total das entradas é igual ao total das saídas.
Cada recurso de um agente é emprego de outro

Agregados macroeconómicos

também a nível macroeconómico se vai observar o equilíbrio económico sendo que o Produto Nacional iguala a Despesa Nacional e o Rendimento Nacional.

PN = DN = RN

Tem relação com as diferente óticas de calculo da riqueza:

Ótica do produto = PN

Ótica da despesa = DN

Ótica do rendimento = RN

(ver capítulo 9 – Contabilidade Nacional)

Em resumo :

Produto Nacional é o somatório de todos os bens e serviços produzidos por uma nação durante um determinado período de tempo (geralmente 1 ano).

Pela ótica do produto é o somatório dos valores acrescentados brutos.

A atividade produtiva de 1 país permite gerar rendimentos como os salários, os lucros, as rendas ou os juros. Os rendimentos

Exercícios Exame Agente Económicos e o circuito económico
  1. Os vencimentos que o Estado paga aos funcionários públicos…
    1. constituem uma receita do agente administração pública
    2. constituem um recurso do agente administração pública
    3. constituem um emprego do agente administração pública
    4. constituem um emprego do agente famílias
  2. Os movimentos existentes entre os diversos agentes económicos que correspondem à troca de bens e serviços, nas respectivas unidades de conta, denominam-se
    1. consumos intermédios
    2. circuitos fechados
    3. fluxos reais
    4. fluxos monetários
  3. As instituições financeiras (empresas financeiras) contabilizam como recurso…
    1. os juros de depósitos entregues aos seus clientes
    2. os prémios de seguro entregues pelos seus clientes
    3. os impostos que pagam ao Estado
    4. as indemnizações pagas aos seus clientes
  4. Constituem empregos do agente famílias…
    1. as despesas de consumo
    2. os vencimentos
    3. os juros de depósitos
    4. as transferências sociais
  5. Os movimentos existentes entre os diversos agentes económicos que correspondem à troca de bens e serviços, nas respectivas unidades de conta, denominam-se…
    1. consumos intermédios
    2. circuitos fechados
    3. fluxos reais
    4. fluxos monetários
  6. Os prémios de seguros pagos pelas famílias constituem um…
    1. fluxo real
    2. stock de capital
    3. recurso das famílias
    4. recurso das instituições financeiras
  7. É exemplo de um fluxo…
    1. o rendimento recebido num dado ano pelas famílias
    2. o stock de matérias primas detido pelas empresas
    3. a taxa de juro dos depósitos efetuados pelas famílias
    4. o material de transporte usado pelas empresas
  8. São recursos do agente económico famílias
    1. os empréstimos obtidos de instituições financeiras
    2. as aplicações de poupanças em depósitos bancários
    3. as despesas efectuadas na compra de bens
    4. os juros pagos pelos créditos concedidos
  9. Os depósitos bancários efetuados pelas famílias constituem um…
    1. emprego das instituições financeiras
    2. emprego das famílias
    3. recurso das famílias
    4. recurso das empresas não financeiras
  10. constituem recursos das famílias e empregos do Estado, respectivamente…
    1. as contribuições sociais e os vencimentos dos funcionários públicos
    2. os impostos directos e as contribuições sociais
    3. os vencimentos dos funcionários públicos e os subsídios de desemprego
    4. as indemnizações de seguros e os impostos directos.
  11. Os juros dos depósitos…
    1. constituem um recurso do agente familias
    2. constituem um recurso do agente instituições financeiras
    3. constituem um emprego do agente sociedade não financeiras
    4. constituem um emprego do agente famílias
  12. Os juros dos empréstimos…
    1. constituem um recurso do agente famílias
    2. constituem um recurso do agente instituições financeiras
    3. constituem um emprego do agente sociedades não financeiras
    4. constituem um emprego do agente famílias
  13. Consideram-se um fluxo real
    1. os subsídios atribuídos pelo Estado às empresas
    2. os lucros distribuídos pelas empresas
    3. o trabalho que as famílias prestam às empresas
    4. os juros dos empréstimos entregues pelas famílias às instituições financeiras
  14. O circuito económico
    1. representa as várias etapas de um processo produtivo
    2. é uma representação esquemática de todos os fluxos estabelecidos entre os diferentes agentes
    3. apresenta os fluxos reais que se estabelecem entre os diferentes agentes de uma economia.
    4. permite distinguir os diversos tipos de agentes económicos que compõem  o Resto do Mundo.
  15. O equilíbrio entre recursos e empregos
    1. traduz o facto de os empregos de um agente corresponderem aos recursos do agente destino
    2. deriva de as unidades de consumo adquirirem os bens e serviços das unidades de produção
    3. decorre da circunstância dos rendimentos auferidos pelas famílias serem integralmente gastos em despesas de consumo.
    4. resulta das unidades de produção distribuírem na totalidade os rendimentos que geram.
  16. Constituem recursos das empresas não financeiras…
    1. os salários pagos às famílias
    2. os impostos pagos ao Estado
    3. os depósitos feitos nas Instituições Financeiras
    4. as vendas ao Estado
  17. Constitui exemplo de um fluxo real das Administrações Públicas para as famílias…
    1. o trabalho fornecido pelas famílias às administrações públicas
    2. os subsídios entregues pela Segurança Social às Famílias
    3. os serviços de saúde prestados pelos hospitais públicos às famílias
    4. os impostos directos pagos pelas famílias ao Estado.

 

Fluxos entre agentes económicos

Fluxos entre agentes económicos

Os agentes económicos interagem entre si no desempenho das suas funções.

Fluxos entre agentes económicos

Fluxos entre agentes económicos

As famílias consomem os bens que as empresas não financeiras produzem e adquirem os serviços financeiros prestados pelas instituições financeiras.

Para produzirem  bens e serviços, as empresas necessitam de mão de obra. Assim, além de consumirem, as famílias também entregam a sua força de trabalho às empresas, pelo que são retribuídas com uma remuneração.

Os indivíduos que trabalham para a Administração Pública recebem do Estado os seus vencimentos.

No sentido contrário, as famílias entregam ao Estado os impostos que este cobra, bem como as respetivas quotizações sociais. O Estado aplica as verbas que recebe dos cidadãos tanto em políticas de redistribuição, através da atribuição de subsídios, como na produção de bens e prestação de serviços, procurando satisfazer o máximo de necessidades coletivas.

As empresas também estabelecem relações com a Administração Pública. O Estado consome bens e contrata serviços às empresas mediante o correspondente pagamento, mas, por outro lado, cobra-lhes impostos e contribuições sociais.

As empresas, quando compram ou vendem ao exterior, estabelecem laços comerciais com outro agente – O Resto do Mundo.

As relações que se estabelecem entre os diferentes agentes económicos chamam-se fluxos, este podem ser reais ou monetários, conforme dizem respeito à troca de bens e serviços ou ao valor monetário dos bens e serviços transacionados.

Falamos em fluxos reais, quando nos referimos ao conjunto de bens e serviços trocados entre os diferentes agentes económicos, e em fluxos monetários, quando as transações de bens e serviços são expressas em moeda.

 

Tipo de Agentes Económicos

Tipo de Agentes Económicos

Tipo de agentes económicos

Tipo de agentes económicos

Os agentes económicos

Famílias: incluem todos os agregados familiares de um país. As famílias constituem um agente económico porque representam uma função económica, o consumo.

Empresas – São os agentes económicos que se dedicam à produção de bens e serviços. Dividem em dois tipos diferentes:

Empresas não financeiras: são aquelas que produzem os bens e serviços não financeiros (por exemplo: um ginásio, um restaurante, etc.)

Empresas financeiras: são aquelas que comercializam produtos financeiros, como por exemplo os bancos ou as seguradoras.

Estado: neste agente incluímos a Administração Pública, esta tem como principal função promover a satisfação das necessidades coletivas. O Estado intervém na economia através da redistribuição dos rendimentos e do fornecimento de serviços, como a educação ou a saúde, de modo a satisfazer as necessidades da população.

Resto do Mundo: englobam-se todas as operações efetuadas entre um país e o Resto do Mundo. Registam-se as transações realizadas entre os agentes nacionais e os agentes estrangeiros. Atualmente, quase não se pode falar em economias fechadas, pelo que é praticamente impossível viver sem estabelecer relações de troca com outras nações. As maioria das nações estabelece relações económicas com outros países, estabelecendo assim um modelo de economia aberta.

Funções principais dos agentes económicos

Famílias: Função principal é consumir bens e serviços.

Empresas não financeiras: Produzir bens e serviços não financeiros

Empresas financeiras: Produzem serviços financeiros

Estado: O Agente económico que gere a aplicação das leis e arbitra o circuito económico.

Exterior ou Resto do Mundo: Relações com o resto do Mundo. Realização de transações com agentes estrangeiros

Os agentes económicos e o circuito económico

Os agentes económicos e o circuito económico

1. O circuito económico

A atividade económica corresponde a um conjunto de operações realizadas pelos agentes económicos que têm como objetivo criar bens e serviços suscetiveis de satisfazer as necessidades.

Assim a atividade económica

Produção — Distribuição — Repartição dos rendimentos(salários,rendas,juros,lucros)—utilização dos rendimentos(consumo,poupança).

Os agentes económicos são todas as entidades individuais ou coletivas que desempenham uma função na atividade económica.

Desta maneira classificamos os agentes económicos de acordo com a sua função principal.

Desta maneira temos: as famílias, as empresas, o Estado e o Resto do Mundo.

As empresas: são os agentes económicos que se dedicam à produção de bens e serviços. Podemos ainda distinguir entre empresas financeiras e empresas não financeiras. As empresas não financeiras são aquelas que produzem os bens e serviços não financeiros (normalmente designamos apenas de empresas). As instituições financeiras são as que comercializam produtos financeiros, como os bancos ou as seguradoras.

Famílias: neste grupo incluem-se todos os agregados familiares de um país. As famílias  constituem um agente económico porque representam uma importante  função económica o consumo.

Estado: este agente económico inclui a administração pública que tem como principal função promover a satisfação das necessidades coletivas. O Estado intervém na economia através da redistribuição dos rendimentos e do fornecimento de serviços, como a educação ou a saúde, de modo a satisfazer as necessidades da população.

Resto do Mundo: englobam-se todas as operações efetuadas entre um país e os restantes (Resto do Mundo). Aqui registam-se as transações realizadas entre os agentes económicos nacionais e os agentes económicos estrangeiros. Nos dias de hoje é praticamente impossível falar em economias fechadas, é praticamente impossível viver sem estabelecer relações de troca com outros países. A maior parte das economicas (nações) vive num modelo de economia aberta.

Agentes económicos e principal função:

Familias – Consumo de bens e serviços

Empresas não financeiras – produção de bens e prestação de serviços não financeiros

Instituições financeiras – prestação de serviços financeiros

Estado – fornecimento de bens e serviços que visam a satisfação das necessidades coletivas e redistribuição do rendimento.

Resto do mundo: realização de transações com agentes económicos.

Definições a ter em conta:

Circuito económico: é a representação esquemática dos fluxos que se estabelecem entre os diferentes agentes económicos.

Economia aberta: economia que estabelece relações de troca com o resto do mundo

Economia fechada: economia que procura ser auto-suficiente, não efetuando transações comerciais com o exterior.

Os agentes económicos interagem uns com os outros no desempenho das suas funções.

As famílias consomem os bens que as empresas não financeiras produzem e adquirem os serviços financeiros prestados pelas instituições financeiras. As familias servem como fonte de mão de obra, constituido assim a força de trabalho das empresas em troca recebem a sua remuneração.

Os individuos que trabalham para a administração pública recebem do Estado os seus vencimentos. No sentido contrário os agregados familiares entregam ao Estado sobre a forma de impostos que este cobra e as quotizações sociais. O Estado por seu lado, aplica as verbas que recebe dos cidadãos em políticas de redistribuição, através da atribuição de subsidios como também na produção de bens e prestação de serviços, procurando assim satisfazer o máximo as necessidades coletivas.

As empresas também estabelecem relações com a administração pública. O Estado consome bens, contrata serviços às empresas mediante o correspondente pagamento, por outro lado, cobra-lhes impostos e contribuições sociais.

Por último, as empresas, quando compram ou vendem bens ao exterior, estabelecem laços comerciais com outro agentes – transações com o Resto do Mundo.

Complementaridade entre as atividades:

Depois de realizada a produção, procede-se à repartição dos seus resultados pelos diferentes intervenientes no processo produtivo;
Com os rendimento obtidos, as famílias irão utilizar os seus rendimentos em consumo ou poupança;
Raramente as famílias adquirem os bens e serviços de que necessitam directamente ao produtor, funcionando neste caso os distribuidores que asseguram a disponibilização dos bens nos locais de consumo.

As relações que se estabelecem entre os diferentes agentes, denominam-se fluxos, podem ser reais ou monetários, conforme dizem respeito à troca de bens e serviços ou ao valor monetário dos bens e serviços transaccionados.

Desta forma falamos de fluxos reais quando nos referimos ao conjunto dos bens e serviços trocados entre os diferentes tipos de agentes económicos e fluxos monetários quando as transações de bens e serviços são expressas em moeda.

Existe outra forma de análise que se prende com os recursos (recebimentos) e os empregos (pagamentos) de cada agente económico.

Assim para um agente económico

Empregos: registam-se os pagamentos, os fluxos que correspondem às saídas.

Recursos: aqui registam-se os recebimentos , os fluxos que correspondem às entradas.

Por exemplo o agente económico famílias:

Empregos (Pagamentos)

às empresas não financeiras:
Despesas de consumo
Investimento (cedência de capital)
às instituições financeiros
depósitos
amortização de empréstimos
juros de empréstimos
prémios de seguro
Ao Estado
impostos
contribuições para a segurança social

Recursos (recebimentos)

Das empresas não financeiras

salários (funcionários)
Rendas (proprietários de imóveis)
Lucros (empresários)

Das instituições financeiras

juros dos depósitos
ordenados (dos funcionários)
empréstimos concedidos
indemnizações (em caso de sinistro)

Do Estado

Vencimentos (funcionários públicos)
transferências sociais (pensões, subsídios)

Agente económico Empresas não financeiras

Empregos (pagamentos)

às familias

salários
rendas (cedência de imóveis)
lucros (retorno do investimentos)

As instituições financeiras

depósitos
juros de empréstimos
amortização de empréstimos
prémios de seguro
lucros (retorno do investimento)

Ao Estado

Impostos
Contribuições para a Segurança Social

Ao Resto do Mundo

Valor das importações (nacionais)

Recursos (recebimentos)

Das famílias

Despesas de Consumo
Investimento

Das instituições financeiras

investimento
juros de depósitos
empréstimos concedidos
indemnizações

Do Estado

Despesas de consumo
subsídios à produção

Do Resto do Mundo

Valor das exportações (nacionais)

Equilibrio económico

A existência do equilíbrio económico implica por um lado que os recursos de cada agente sejam simultaneamente empregos de outros agentes e que o total dos empregos dos agentes seja igual ao total dos seus recursos.

Em resumo

Equilibrio económico

Total dos empregos = Total dos recursos
Cada recurso de um agente é emprego de outro

Agregados macroeconómicos

também a nível macroeconómico se vai observar o equilíbrio económico sendo que o Produto Nacional iguala a Despesa Nacional e o Rendimento Nacional.

PN = DN = RN

Em resumo :

Produto Nacional é o somatório de todos os bens e serviços produzidos por uma nação durante um determinado período de tempo (geralmente 1 ano).

A atividade produtiva de 1 país permite gerar rendimentos como os salários, os lucros, as rendas ou os juros. Os rendimentos

Exercícios Exame Agente Económicos e o circuito económico

Exercícios Exame Agente Económicos e o circuito económico

  1. Os vencimentos que o Estado paga aos funcionários públicos…
    1. constituem uma receita do agente administração pública
    2. constituem um recurso do agente administração pública
    3. constituem um emprego do agente administração pública
    4. constituem um emprego do agente famílias
  2. Os movimentos existentes entre os diversos agentes económicos que correspondem à troca de bens e serviços, nas respectivas unidades de conta, denominam-se
    1. consumos intermédios
    2. circuitos fechados
    3. fluxos reais
    4. fluxos monetários
  3. As instituições financeiras contabilizam como recurso…
    1. os juros de depósitos entregues aos seus clientes
    2. os prémios de seguro entregues pelos seus clientes
    3. os impostos que pagam ao Estado
    4. as indemnizações pagas aos seus clientes
  4. Constituem empregos do agente famílias…
    1. as despesas de consumo
    2. os vencimentos
    3. os juros de depósitos
    4. as transferências sociais
  5. Os movimentos existentes entre os diversos agentes económicos que correspondem à troca de bens e serviços, nas respectivas unidades de conta, denominam-se…
    1. consumos intermédios
    2. circuitos fechados
    3. fluxos reais
    4. fluxos monetários
  6. Os prémios de seguros pagos pelas famílias constituem um…
    1. fluxo real
    2. stock de capital
    3. recurso das famílias
    4. recurso das instituições financeiras
  7. É exemplo de um fluxo…
    1. o rendimento recebido num dado ano pelas famílias
    2. o stock de matérias primas detido pelas empresas
    3. a taxa de juro dos depósitos efetuados pelas famílias
    4. o material de transporte usado pelas empresas
  8. São recursos do agente económico famílias
    1. os empréstimos obtidos de instituições financeiras
    2. as aplicações de poupanças em depósitos bancários
    3. as despesas efectuadas na compra de bens
    4. os juros pagos pelos créditos concedidos
  9. Os depósitos bancários efetuados pelas famílias constituem um…
    1. emprego das instituições financeiras
    2. emprego das famílias
    3. recurso das famílias
    4. recurso das empresas não financeiras
  10. constituem recursos das famílias e empregos do Estado, respectivamente…
    1. as contribuições sociais e os vencimentos dos funcionários públicos
    2. os impostos directos e as contribuições sociais
    3. os vencimentos dos funcionários públicos e os subsídios de desemprego
    4. as indemnizações de seguros e os impostos directos.
  11. Os juros dos depósitos…
    1. constituem um recurso do agente familias
    2. constituem um recurso do agente instituições financeiras
    3. constituem um emprego do agente sociedade não financeiras
    4. constituem um emprego do agente famílias
  12. Consideram-se um fluxo real
    1. os subsídios atribuídos pelo Estado às empresas
    2. os lucros distribuídos pelas empresas
    3. o trabalho que as famílias prestam às empresas
    4. os juros dos empréstimos entregues pelas famílias às instituições financeiras
  13. O circuito económico
    1. representa as várias etapas de um processo produtivo
    2. é uma representação esquemática de todos os fluxos estabelecidos entre os diferentes agentes
    3. apresenta os fluxos reais que se estabelecem entre os diferentes agentes de uma economia.
    4. permite distinguir os diversos tipos de agentes económicos que compõem  o Resto do Mundo.
  14. O equilíbrio entre recursos e empregos
    1. traduz o facto de os empregos de um agente corresponderem aos recursos do agente destino
    2. deriva de as unidades de consumo adquirirem os bens e serviços das unidades de produção
    3. decorre da circunstância dos rendimentos auferidos pelas famílias serem integralmente gastos em despesas de consumo.
    4. resulta das unidades de produção distribuírem na totalidade os rendimentos que geram.
  15. Para as Sociedades Financeiras, nas transações comerciais com os trabalhadores por conta de outrem, são exemplos de empregos.
    1. os juros dos empréstimos e os prémios de seguros.
    2. os juros dos empréstimos e as indeminizações de seguros.
    3. os juros dos depósitos e os prémios de seguros.
    4. os juros dos depósitos e as indemnizações de seguros.
  16. Constituem recursos das empresas não financeiras…
    1. os salários pagos às famílias
    2. os impostos pagos ao Estado
    3. os depósitos feitos nas Instituições Financeiras
    4. as vendas ao Estado
  17. Uma empresa, com fins lucrativos, residente num determinado país, que faz a cobertura de riscos de incêndio de bens imóveis pertence ao setor institucional designado Sociedades não Financeiras. Esta afirmação é
    1. falsa, pois é uma sociedade que presta serviços financeiros.
    2. falsa, pois é uma sociedade que presta serviços não mercantis.
    3. verdadeira, pois é uma sociedade que presta serviços não financeiros.
    4. verdadeira, pois é uma sociedade que presta serviços mercantis.
  18. Numa dada economia, o fluxo monetário referente ao pagamento, por uma câmara municipal, de um empréstimo bancário contraído constitui.
    1. um recurso das Administrações Públicas e um emprego das Sociedades Financeiras.
    2. um emprego das Administrações Públicas e um recurso das Sociedades não Financeiras.
    3. um emprego das Sociedades não Financeiras e um recurso das Administrações Públicas.
    4. um recurso das Sociedades Financeiras e um emprego das Administrações Públicas.
  19. Constitui exemplo de um fluxo real das Administrações Públicas para as famílias…
    1. o trabalho fornecido pelas famílias às administrações públicas
    2. os subsídios entregues pela Segurança Social às Famílias
    3. os serviços de saúde prestados pelos hospitais públicos às famílias
    4. os impostos directos pagos pelas famílias ao Estado.

Os agentes económicos e o circuito económico

Os agentes económicos e o circuito económico

1. O circuito económico

A atividade económica corresponde a um conjunto de operações realizadas pelos agentes económicos que têm como objetivo criar bens e serviços suscetiveis de satisfazer as necessidades.

Assim a atividade económica

Produção — Distribuição — Repartição dos rendimentos(salários,rendas,juros,lucros)—utilização dos rendimentos(consumo,poupança).

Os agentes económicos são todas as entidades individuais ou coletivas que desempenham uma função na atividade económica.

Desta maneira classificamos os agentes económicos de acordo com a sua função principal.

Desta maneira temos: as famílias, as empresas, o Estado e o Resto do Mundo.

As empresas: são os agentes económicos que se dedicam à produção de bens e serviços. Podemos ainda distinguir entre empresas financeiras e empresas não financeiras. As empresas não financeiras são aquelas que produzem os bens e serviços não financeiros (normalmente designamos apenas de empresas). As instituições financeiras são as que comercializam produtos financeiros, como os bancos ou as seguradoras.

Famílias: neste grupo incluem-se todos os agregados familiares de um país. As famílias  constituem um agente económico porque representam uma importante  função económica o consumo.

Estado: este agente económico inclui a administração pública que tem como principal função promover a satisfação das necessidades coletivas. O Estado intervém na economia através da redistribuição dos rendimentos e do fornecimento de serviços, como a educação ou a saúde, de modo a satisfazer as necessidades da população.

Resto do Mundo: englobam-se todas as operações efetuadas entre um país e os restantes (Resto do Mundo). Aqui registam-se as transações realizadas entre os agentes económicos nacionais e os agentes económicos estrangeiros. Nos dias de hoje é praticamente impossível falar em economias fechadas, é praticamente impossível viver sem estabelecer relações de troca com outros países. A maior parte das economicas (nações) vive num modelo de economia aberta.

Agentes económicos e principal função:

Familias – Consumo de bens e serviços

Empresas não financeiras – produção de bens e prestação de serviços não financeiros

Instituições financeiras – prestação de serviços financeiros

Estado – fornecimento de bens e serviços que visam a satisfação das necessidades coletivas e redistribuição do rendimento.

Resto do mundo: realização de transações com agentes económicos.

Definições a ter em conta:

Circuito económico: é a representação esquemática dos fluxos que se estabelecem entre os diferentes agentes económicos.

Economia aberta: economia que estabelece relações de troca com o resto do mundo

Economia fechada: economia que procura ser auto-suficiente, não efetuando transações comerciais com o exterior.

Os agentes económicos interagem uns com os outros no desempenho das suas funções.

As famílias consomem os bens que as empresas não financeiras produzem e adquirem os serviços financeiros prestados pelas instituições financeiras. As familias servem como fonte de mão de obra, constituido assim a força de trabalho das empresas em troca recebem a sua remuneração.

Os individuos que trabalham para a administração pública recebem do Estado os seus vencimentos. No sentido contrário os agregados familiares entregam ao Estado sobre a forma de impostos que este cobra e as quotizações sociais. O Estado por seu lado, aplica as verbas que recebe dos cidadãos em políticas de redistribuição, através da atribuição de subsidios como também na produção de bens e prestação de serviços, procurando assim satisfazer o máximo as necessidades coletivas.

As empresas também estabelecem relações com a administração pública. O Estado consome bens, contrata serviços às empresas mediante o correspondente pagamento, por outro lado, cobra-lhes impostos e contribuições sociais.

Por último, as empresas, quando compram ou vendem bens ao exterior, estabelecem laços comerciais com outro agentes – transações com o Resto do Mundo.

Complementaridade entre as atividades:

Depois de realizada a produção, procede-se à repartição dos seus resultados pelos diferentes intervenientes no processo produtivo;
Com os rendimento obtidos, as famílias irão utilizar os seus rendimentos em consumo ou poupança;
Raramente as famílias adquirem os bens e serviços de que necessitam directamente ao produtor, funcionando neste caso os distribuidores que asseguram a disponibilização dos bens nos locais de consumo.

As relações que se estabelecem entre os diferentes agentes, denominam-se fluxos, podem ser reais ou monetários, conforme dizem respeito à troca de bens e serviços ou ao valor monetário dos bens e serviços transaccionados.

Desta forma falamos de fluxos reais quando nos referimos ao conjunto dos bens e serviços trocados entre os diferentes tipos de agentes económicos e fluxos monetários quando as transações de bens e serviços são expressas em moeda.

fluxos reais e monetários

fluxos reais e monetários

Existe outra forma de análise que se prende com os recursos (recebimentos) e os empregos (pagamentos) de cada agente económico.

Assim para um agente económico

Empregos: registam-se os pagamentos, os fluxos que correspondem às saídas.

Recursos: aqui registam-se os recebimentos , os fluxos que correspondem às entradas.

Por exemplo o agente económico famílias:

Empregos (Pagamentos)

às empresas não financeiras:
Despesas de consumo
Investimento (cedência de capital)
às instituições financeiros
depósitos
amortização de empréstimos
juros de empréstimos
prémios de seguro
Ao Estado
impostos
contribuições para a segurança social

Recursos (recebimentos)

Das empresas não financeiras

salários (funcionários)
Rendas (proprietários de imóveis)
Lucros (empresários)

Das instituições financeiras

juros dos depósitos
ordenados (dos funcionários)
empréstimos concedidos
indemnizações (em caso de sinistro)

Do Estado

Vencimentos (funcionários públicos)
transferências sociais (pensões, subsídios)

Agente económico Empresas não financeiras

Empregos (pagamentos)

às familias

salários
rendas (cedência de imóveis)
lucros (retorno do investimentos)

As instituições financeiras

depósitos
juros de empréstimos
amortização de empréstimos
prémios de seguro
lucros (retorno do investimento)

Ao Estado

Impostos
Contribuições para a Segurança Social

Ao Resto do Mundo

Valor das importações (nacionais)

Recursos (recebimentos)

Das famílias

Despesas de Consumo
Investimento

Das instituições financeiras

investimento
juros de depósitos
empréstimos concedidos
indemnizações

Do Estado

Despesas de consumo
subsídios à produção

Do Resto do Mundo

Valor das exportações (nacionais)

Equilibrio económico

A existência do equilíbrio económico implica por um lado que os recursos de cada agente sejam simultaneamente empregos de outros agentes e que o total dos empregos dos agentes seja igual ao total dos seus recursos.

Em resumo

Equilibrio económico

Total dos empregos = Total dos recursos
Cada recurso de um agente é emprego de outro

Agregados macroeconómicos

também a nível macroeconómico se vai observar o equilíbrio económico sendo que o Produto Nacional iguala a Despesa Nacional e o Rendimento Nacional.

PN = DN = RN

Em resumo :

Produto Nacional é o somatório de todos os bens e serviços produzidos por uma nação durante um determinado período de tempo (geralmente 1 ano).

A atividade produtiva de 1 país permite gerar rendimentos como os salários, os lucros, as rendas ou os juros. Os rendimentos criados a partir do processo produtivo vão ser usados em consumo ou em investimento sendo efetivamente os gastos do país, ou seja, a Despesa Nacional

Desta forma podemos verificar que a igualdade entre os três agregados representa o equilíbrio económico.

Despesa Nacional = Produto Nacional = Rendimento Nacional.

A entrega dos fatores de produção permite a produção de bens e serviços (PN) que por seu lado vão ser consumidos pelos indivíduos de uma nação (DN) e também gera os rendimentos que serão distribuídos (RN) e utilizados (DN) pelos agentes.

Exercícios Exame Agente Económicos e o circuito económico