All posts by Pedro Castanho

Exercícios Preparação Exame Nacional – Capítulos 1 a 6

Exercícios Preparação Exame Nacional – Capítulos 1 a 6

  1. O facto de as necessidades humanas serem ilimitadas e de os recursos aptos a satisfazê-las serem escassos expressa…
    1. O custo de oportunidade
    1. O problema económico
    1. A lei de Engel
    1. A racionalidade económica
  2. A Economia é a ciência que estuda as escolhas entre utilizações alternativas dos recursos. Essas escolhas decorrem do facto de….
    1. Os bens serem livres
    1. O Homem ter liberdade de decisão
    1. Os bens serem escassos
    1. O Homem ter necessidades primárias
  3. Uma das consequências do consumismo é…
    1. A preservação dos recursos naturais
    1. O aumento da taxa de atividade
    1. A diminuição do rendimento pessoal
    1. O endividamento das famílias
  4. O trabalho utilizado na obtenção dos bens e serviços comercializáveis é um ….
    1. Rendimento primário
    1. Bem livre
    1. Recurso natural
    1. Factor produtivo
  5. Os comportamentos consumistas podem ter como consequência…
    1. Uma desigual repartição do rendimento
    1. O endividamento das famílias
    1. A alteração da Lei de Engel
    1. Um menor consumo de bens intermédios
  6. São atividades económicas…
    1. A Produção, a Distribuição e o Desemprego
    1. As Famílias, as Empresas e o Estado
    1. A Produção a Distribuição e o Consumo
    1. As famílias, as empresas e as Instituições Financeiras
  7. De acordo com a lei de Engel….
    1. As famílias com maiores rendimentos gastam mais dinheiro em bens alimentares
    1. As famílias com menores rendimentos gastam mais dinheiro em bens alimentares
    1. A proporção das despesas em alimentação relativamente ao total das despesas de consumo +e superior nas famílias com menores rendimentos.
    1. A proporção das despesas em alimentação relativamente ao total das despesas de consumo é superior nas famílias com maiores rendimentos.
  8. O critério que permite distinguir bens materiais de serviços é…
    1. O tipo de desgaste sofrido pelos bens materiais
    1. A natureza material ou imaterial dos bens
    1. O grau de satisfação proporcionado pelos bens
    1. A raridade ou a abundância dos bens materiais.
  • Uma determinada empresa dedica-se á compra de batata em pequenos produtores para a revender aos supermercados. Então, essa empresa dedica-se ao comércio…
    • Grossista
    • Retalhista
    • Tradicional
    • Eletrónico
  • Quando, a longo prazo, se verifica que os custos totais médios diminuem com o aumento da quantidade produzida, fala-se na existência de…
    • Deseconomias de escala
    • Economias de escala
    • Rendimentos à escala
    • Empresas à escala
  • É exemplo de um recurso natural renovável…
    • O petróleo utilizado na produção de gasolina
    • O trabalho humano utilizado na produção de bens
    • A força do vento utilizada na produção de eletricidade
    • A farinha usada na produção do pão
  • O lucro é…
    • A diferença entre o preço de venda e o valor dos impostos pagos
    • Uma forma de rendimento do dinheiro emprestado
    • O valor da venda dos bens pelas empresas
    • Uma das formas de remuneração do capital investido.
  • A despesa que as empresas efetuam em publicidade constitui….
    • Uma despesa de consumo coletivo
    • Um investimento de substituição
    • Uma despesa de consumo privado
    • Um investimento imaterial
  • O conjunto de operações, realizadas numa lógica social, com o objetivo de corrigir as desigualdades decorrentes da repartição primária dos rendimentos designa-se…
    • Justiça social
    • Redistribuição dos rendimentos
    • Estado de direito
    • Estado providência
  • O tipo de comércio caracterizado pela existência de múltiplos estabelecimentos comerciais, com a mesma designação, mas explorados por empresários diferentes, em que cada um dos estabelecimentos comerciais paga direitos de utilização da marca a uma mesma entidade, proprietária dessa marca, designa-se por…
    • Factoring;
    • Franchising;
    • Leasing
    • Dumping
  1. Os mercados de concorrência monopolística caracterizam-se pela existência de muitos consumidores e…
    1. Muitos vendedores de bens diferenciados
    1. Muitos vendedores de bens homogéneos
    1. Um único vendedor de bens diferenciados
    1. Um único vendedor de bens homogéneos
  2. A utilização, por parte de uma família, de açúcar na confeção de uma sobremesa para o seu jantar constitui um exemplo de um…
    1. Consumo intermédio
    1. Consumo final
    1. Consumo coletivo
    1. Consumo público
  3. Os produtores e os distribuidores mercantis de matérias-primas, enquanto agentes económicos, são classificados como
    1. Empresas não financeiras
    1. Instituições sem fim lucrativo ao serviço das famílias
    1. Administrações públicas
    1. Sociedades financeiras prestadoras de serviços às famílias

  • Coletânea de Exercícios de preparação para os Exames Nacionais.
  • Exercícios Preparação Exame – Exames Antigos Versão 1

Esta coletânea aborda a matéria referente ao 10º ano de Economia A.

Exercícios de escolha múltipla e de desenvolvimento

Se precisar de apoio online ou presencial basta contactar

Contacto: 91 818 70 95 ou email:
explicacoeseconomialrsodivelas@gmail.com

Exercícios Preparação Exame – Exames Antigos Versão 1

Coletânea de Exercícios de preparação para os Exames Nacionais.

Esta coletânea aborda a matéria referente ao 10º ano de Economia A.

Exercícios de escolha múltipla e de desenvolvimento

Se precisar de apoio online ou presencial basta contactar

Contacto: 91 818 70 95 ou email:
explicacoeseconomialrsodivelas@gmail.com

Black Friday – Compro logo existo

Black Friday – Compro logo existo

A pressão consumista chegou a um ponto que toda a racionalidade económica chega a ser posta em causa.

Black Friday - Compro logo existo

Black Friday – Compro logo existo

De acordo com a racionalidade económica existem dois fatores que são muito importantes:

  1. A eficiência na satisfação das necessidades
  2. A utilidade dos bens e serviços adquiridos

Se analisarmos atentamente o fenómeno Black Friday  este está fora dos dois pressupostos base da racionalidade económica. É uma corrida desenfreada ao consumo sem preocupação acerca de consumos alternativos sem considerar a utilidades e eficiência dos bens adquiridos.

A utilidade marginal de cada bem tende a ser decrescente, vejamos o seguinte exemplo:

O Sr. Paulo tem um telemóvel, a sua utilidade é máxima porque usa exclusivamente este aparelho para uma série de funcionalidades ao longo do dia. Se por exemplo o Sr. Paulo tiver dois telemóveis, um particular e outro para o trabalho cada um deles terá menos utilidade. Se tivesse entretanto mais telemóveis cada um deles teria menos utilidade. Deste modo por absurdo uma imensidão de telemóveis deixariam tendencialmente de ter qualquer valor de utilidade para o Sr. Paulo.

Por esta razão, podemos considerar este evento social como um caso de irracionalismo económico.

 

Produtividade versus desperdício

Produtividade versus desperdício

Produtividade versus desperdício

Produtividade versus desperdício

“Há quem com mais consiga menos e quem com menos consiga sempre mais”

PC

A produtividade relaciona a produção com os recursos necessários para a execução da mesma. Desta forma uma melhor produtividade implica uma produção maior com menos recursos.

Existe um paradoxo relativo aos efeitos do aumento da produtividade. Por um lado,consegue com uma melhor afectação de recursos produzir em maior quantidade mas, por outro lado, dado o excessivo nível de produção e de consequente consumo provoca este mesmo um nível de desperdício cada vez maior.

“A ausência de desperdício será o maior desafio face a estratégia de obsolescência programada como factor de crescimento económico”

Prevalece o fenómeno do consumismo desmedido

Nos últimos anos com a afirmação da globalização e da produção cada vez mais massificada assistimos:

  1. Um aumento sem precedentes no crescente volume da produção.
  2. Este aumento está a causar uma pressão cada vez maior sobre os recursos existentes;
  3. Os impactos considerados “externalidades negativas”, não são directamente medidas na nossa economia e são cada vez mais intensos e são as alterações climáticas um dos maiores perigos para a sobrevivência da nossa sociedade e civilização global.
  4. A quantidade desmedida provoca também uma utilidade marginal decrescente dos bens que utilizamos tendo este um tempo de vida útil cada vez menor.

OIKOS NOMOS – O regresso às origens

OIKOS NOMOS – O regresso às origens

OIKOS NOMOS - O regresso às origens

OIKOS NOMOS – O regresso às origens

Sentido etimológico de economia

O sentido etimológico de economia, vem do grego “Oikos” que significa Casa e “Nomos“, Regra, Norma, Lei, por outras palavras Economia quer dizer “Gerir a Casa”.

Gestão de recursos

É na questão da gestão dos recursos escassos que deve prevalecer a boa gestão individual como fundamento do bom funcionamento da economia como um todo.

Racionalidade económica

Normalmente a racionalidade económica leva-nos a fazer as melhores escolhas, para obter o melhor beneficio, mas nem sempre sabemos qual a melhor escolha, devido ao desconhecimento, daí haver erros e más escolhas.

Problema Económico – a escassez

A questão da escolha prende-se com a escassez

“Todo o excesso gera a sua escassez”

Ao vivermos numa sociedade consumista em que o excesso é a norma, tenderemos a ter sempre mais escassez. Por sua vez, existindo mais escassez teremos que fazer sempre mais e melhores escolhas.

Na abordagem actual não existe grande interesse pelo conhecimento da boa gestão pessoal como um princípio de consolidação das contas pessoais como uma base que possibilite uma melhor gestão dos recursos pessoais e desta forma minimizar problemas como o excesso de consumo e de endividamento das famílias.

A Escolha e o Custo de Oportunidade

A questão da escolha e do custo de oportunidade são conceitos fundamentais a sua boa aplicação na decisão dos agentes económicos individuais é uma forma que pode conduzir os agentes económicos a melhores resultados económicos.

Por exemplo todos os agentes económicos deveriam fazer um orçamento anual para melhor poderem analisar o rácio de receitas e despesas pessoais evitando desta forma muitos problemas associados a más práticas de gestão.

 

O que é a economia – Tudo é Economia

O que é a economia – Tudo é Economia

O que é a economia – Tudo é Economia

O que é a economia – Tudo é Economia

A economia como ciência trata da gestão das escolhas.

A economia tem como principal problema económico a escassez.

É por isso extremamente importante a questão da escolha.

É o estudo da eficiência da gestão dessas escolhas que é o objecto de estudo da economia.

São as nossas escolhas que geram os impactos directos em qualquer economia.

O custo das escolhas o custo de oportunidade

Todas as escolhas têm um custo que é na realidade as alternativas que deixamos de optar por uma determinada decisão de escolha.

É o fluxo gerado pelas escolhas, a decisão individual de cada consumidor que fornece o capital que alimenta os agentes económicos.

Deste modo, todas as nossas escolhas têm impacto nas questões económicas.

Por exemplo quando vamos comprar um presente de Natal se optarmos por um produto nacional estamos a contribuir para a produção nacional, por sua vez esta produção é responsável pela criação de emprego no nosso país o que implica criação de mais riqueza a nível interno. Se por outro lado, optarmos por comprar mais produtos importados, estamos de certa forma a realizar uma transferência de riqueza para outras nações beneficiando desta forma economias que não a economia portuguesa.

Desta forma sempre que puder opte por produtos nacionais.

Muitas das vezes o sucesso de uma economia não está apenas na produção de riqueza mas essencialmente no seu processo de redistribuição.

Vejamos o exemplo de uma economia que seja controlada por alguns monopólios que em certos sectores da economia controlam praticamente todo o valor produzido nesse caso a redistribuição dos rendimentos não chegará há maioria dos agentes económicos e inclusive em muitos casos essa riqueza será extraditada para outros países e não ficará na economia nacional.

Comércio Local:

A aposta no comércio local tem muitas vantagens:

  1. Cria emprego local;
  2. Tem um impacto em rede: Os vários agentes económicos locais têm tendência para ter uma circulação monetária diferentes dos grandes grupos económicos. Por exemplo: Um café de bairro tende a ter alguns dos seus fornecedores dentro da mesma cidade ou zona urbana, desta forma por exemplo se comprarmos um rissol é provável que este tenha sido vendido ao café por um fornecedor também ele local e desta maneira a circulação monetária é maior a nível local.
  3. Os próprios empresários consomem localmente distribuindo a riqueza produzida.
  4. A existência de redes locais de empresários associada às IT trabalhando em sinergia é uma das oportunidades para a continuidade do comércio local.

As IT trouxeram consigo a era das redes, nesta nova situação ou está a disposto a forma uma rede ou será absorvido por uma rede exterior.

Economia Glocal, redes locais associadas ao comércio global.

A globalização tornou-se inevitável a partir de finais do século XX, nesta época é uma certa irreversível na conjuntura actual. Perante este fenómeno estão -se a formar redes locais ligadas por sua vez a redes transaccionais formando assim a economia Glocal que tenderá a ser cada vez mais disseminada por todo o mundo.

 

Exercícios de Escolha Múltipla – Contabilidade Nacional

Exercícios de Escolha Múltipla – Contabilidade Nacional

Exercícios de Escolha Múltipla – Contabilidade Nacional

  1. Na contabilidade Nacional, permite quantificar a totalidade da produção de um determinado país. Esta afirmação é…
    1. verdadeira, porque a Contabilidade Nacional recorre a instrumentos de medida científicos e eficazes.
    2. falsa, porque as actividades económicas apresentam um carácter social que impossibilita a sua quantificação.
    3. verdadeira, porque as actividades económicas são regulamentadas e fiscalizadas pelo Estado.
    4. falsa, porque a Contabilidade Nacional não consegue quantificar correctamente a produção de certos tipos de actividades, como as destinadas ao auto consumo.
  2. A diferença entre Produto Nacional e Produto Interno corresponde ao valor…
    1. do Consumo de Capital Fixo
    2. dos Impostos Indirectos menos o dos Subsídios à Produção
    3. do Saldo dos Rendimentos com o Resto do Mundo.
    4. das Exportações menos o das Importações.
  3. Uma empresa de arquitectura francesa, instalada há 3 anos em Portugal, desenvolve projectos na área da construção de infra-estruturas. O valor produzido por essa empresa é contabilizado…
    1. no PIB francês;
    2. na Balança de Mercadorias portuguesa.
    3. no PIB português.
    4. na Balança de Mercadorias francesa.
  4. O somatório do consumo total com o investimento permite apurar…
    1. a Despesa Interna
    2. a Procura Interna
    3. a Despesa Nacional
    4. a Procura Global
  5. O Produto Interno Bruto…
    1. é calculado a custo factores;
    2. incorpora o saldo dos rendimentos do resto do mundo
    3. é calculado a preços de mercado;
    4. incorpora o valor das importações
  6. As exportações são uma componente da…
    1. Despesa Interna;
    2. Procura Interna;
    3. Balança de Transferências Correntes;
    4. Balança Financeira.
  7. O produto Interno, quando calcula a preços correntes,…
    1. revela o valor real da produção
    2. incorpora o valor da inflação
    3. revela a evolução das quantidades produzidas.
    4. incorpora o valor das importações.

Questões de revisão Contabilidade Nacional

Questões de revisão Contabilidade Nacional

Questões de revisão Contabilidade Nacional

Questões de revisão Contabilidade Nacional

  1. Questão 

De acordo com os seguintes dados:

PIBpm  781 876

Amortizações 36095

Impostos indirectos 97400

Subsídios à produção 30900

Saldo do rendimento do resto do mundo – 14 487

Calcule

Despesa Nacional

PNLcf

2 . Questão

Completa

Procura Interna = Consumo +                              +

Procura global =                            +

PNLpm = DN –

PNBpm = PIBpm +

3. Questão

Num país em que o salário mínimo é 600€ e o máximo é 4000€, qual é o leque salarial.

4. Questão

De acordo com a óptica do rendimento calcula o PIB de acordo com os dados:

Salários: 150000

Rendas: 12000

Juros: 340000

Lucros: 453000

 

 

 

Explicações Economia online – Low Cost

Explicações Economia online – Low Cost

Explicações Economia online - Low Cost

Explicações Economia online – Low Cost

Vantagens:

  1. Maior comodidade, a partir de sua casa;
  2. Tem acesso a materiais de apoio, resumos, exercícios, através da nossa equipa de professores;
  3. Tem preços low Cost;
  4. Tem uma equipa de professores experiente e devidamente seleccionada.

 

Explicações de Economia online – desde 11,20€ + IVA
Aulas personalizadas à distância com materiais de suporte em formato digital.
Últimas vagas reserve já: 918187095

email: onineeaulas@gmail.com

 

Aulas Economia Grupo Odivelas

Aulas Economia Grupo Odivelas

Explicações Economia  Odivelas

Economia 10º/11º anos – Explicações Odivelas

 

Happy Hour, Segunda e Sexta-feira das 9:00 -10:30

ÚLTIMAS INSCRIÇÕES!

Aulas Economia Grupo Odivelas

Aulas Economia Grupo Odivelas

Explicações Economia  11º ano Low Cost

Local:  Rua Vieira da Silva, lote 11, loja b, Quinta Nova, 2675-209 Odivelas

Aulas em grupo:

Duração: 12h = 2 sessões de 1h30m cada

Dias: Segunda e Sexta-feira das 9:00 -10:30

Valor mensal: 90€ + IVA

Grupos até 4 alunos

Oferta de inscrição até 15 de Novembro!

Reserve já a sua inscrição

 

Explicações Economia Secundário – Odivelas

Aulas Matemática Quinta Nova

Apoio Escolar Quinta Nova

Explicações de Ensino Secundário Odivelas

Happy Hour, Segunda a Sexta de manhã

Desconto de 20%, agora aulas individuais desde 11,20€ + IVA /hora

 

 

Explicações low Cost em Odivelas

Professores muito experientes e credenciados com bons resultados

Centro de Explicações kids.com tem uma super promoção One Plus One, dois amigos = desconto 50% para cada.

Preparação para testes e exames.

Reserve já a sua inscrição, vagas limitadas

Contato: 91 818 70 95, 21 931 23 97 email: info@kids.com.pt

visite-nos em: www.explicacoesodivelas.pt