Actividade Económica e a Ciência Económica

Módulo I – Preparação para o Exame Nacional de Economia – Actividade Económica e a Ciência Económica

Actividade Económica e a Ciência Económica
Actividade Económica e a Ciência Económica

Actividade Económica e a Ciência Económica

•A actividade económica é o conjunto de produção, distribuição, repartição dos rendimentos e a sua utilização em consumo e na poupança.

Capítulo I – Actividade Económica e a Ciência Económica

O Objecto da Economia

O Objeto da Economia
O Objecto da Economia

A Economia observa a realidade social, mas o seu foco é o estudo da ação económica do homem.

A Economia procura dar resposta aos problemas como a criação e distribuição da riqueza, a satisfação das necessidades colectivas, o desenvolvimento integrado dos países ou as suas relações de troca.

Tenta responder a questões como:

O que produzir?

Em que quantidade?

De que modo?

Quando? Onde? Para Quem?

Existem duas ideias essenciais a reter relativamente ao objeto da Economia a escassez e a eficiência.

Sendo o problema económico fundamental a escassez de recursos (limitados) face à multiplicidade das necessidades humanas (ilimitadas), o objetivo essencial da ciência económica consiste em encontrar soluções que possibilitem a minimização dessa escassez (eficiência).

Os recursos são escassos. A questão da escassez é o tema central na economia e que nos leva à escolha.

A sociedade deve utilizar os seus recursos de forma eficiente.

Sabendo-se que existem necessidades diversificadas (umas mais importantes do que outras) e que se dispõe de recursos limitados (escassez), mas susceptíveis de múltiplas utilizações, há que optar pela melhor combinação possível (eficiência).

Princípios fundamentais da economia

Princípios fundamentais da economia
Princípios fundamentais da economia

Os dois princípios fundamentais da Economia são a racionalidade e o equilíbrio.

O princípio da racionalidade consiste em escolher, entre as várias opções, a que permite obter a máxima satisfação ao menor custo.

O princípio do equilíbrio exige que, quando confrontadas, as decisões dos agentes se combinem entre si da melhor forma possível.

Conceito de Custo de Oportunidade

Quando hierarquizamos as necessidades e optamos pela satisfação de uma, as que são sacrificadas representam uma perda, um custo. Este designa-se por custo de oportunidade, é caracterizado por ser a melhor alternativa deixada de lado no momento em que se fez uma outras escolha. De cada vez que se decide empregar um bem na satisfação de uma necessidade, está-se a renunciar a oportunidade de o utilizar na satisfação de outra.

Realidade social e Ciências Sociais

•Economia: analisa a dimensão social, tendo como objecto de estudo os fenómenos económicos (produção, consumo…)

• A Economia é uma Ciência social e como todas as outras ciências sociais preocupa-se com a identificação e explicação dos fenómenos sociais.

São exemplos de ciências sociais ligadas à economia: Psicologia, História, Direito, Antropologia, Sociologia e Política.

•Os Fenómenos sociais ou realidades sociais (que decorrem da vida em sociedade, como por ex. o desemprego, o casamento e a educação) são os objetos de estudo das ciências sociais. 

•Os Fenómenos sociais são fenómenos complexos, pelo que todas as Ciências Sociais se debruçam sobre o mesmo fenómeno, mas com “olhos” diferentes, de modo a estudá-lo por completo.

•A este método que procura integrar os contributos das várias Ciências Sociais ou disciplinas no sentido de encontrar uma explicação e um entendimento mais profundo da realidade social chamamos interdisciplinar idade.

•Qualquer fenómeno da realidade social tem implicações em vários níveis ou dimensões do real social devendo, por isso, ser objecto de estudo das várias Ciências Sociais. Isto dá-se uma vez que a actividade humana é pluridimensional (é estudada pelas várias ciências).

•Os fenómenos Económicos são o objecto de estudo da Economia. Este resulta da “divisão” da dimensão social pelas diferentes Ciências Sociais. •Para tratamento dos dados a Economia recorre à Matemática e à Estatística.

Microeconomia Versus Macroeconomia

Microeconomia Versus Macroeconomia
Microeconomia versus Macroeconomia

A Economia divide-se em dois grandes ramos:

1 – A Microeconomia, debruça-se sobre os comportamentos individuais ou individualizáveis, tais como a determinação do preço dos produtos ou o comportamento dos consumidores ou das empresas (incide sobre a actividade económica considerada nas suas pequenas unidades e quantidades).

2 – A Macroeconomia, trata os comportamentos globais ou agregados de uma Economia – produto, rendimento, inflação, comércio externo, desemprego e outras variáveis económicas agregadas (situa-se à escala dos grandes conjuntos e das quantidades globais).

Estes dois ramos, microeconomia e macroeconomia, convergem para formar a ciência moderna.

Saber + Metodologia da Economia

problema económico

•Encontramo-nos perante uma situação contraditória: de uma lado, a multiplicidade das nossas necessidade, que são ilimitadas; do outro, a escassez dos recursos capazes de as satisfazer. É aqui que reside o problema fundamental da economia •

A Racionalidade Económica consiste na gestão eficaz dos recursos de modo a obter-se o máximo benefício

Escassez e abundância

A sociedade da abundância por um lado cria riqueza mas, por outro é responsável pela falta de valor que damos à maior parte das coisas…

PC 2019

Abundância

•As necessidades humanas constituem o estímulo para toda a actividade económica. São o ponto de partida da Ciência Económica.

O ser humano está permanentemente insatisfeito. Deseja melhorar a sua situação e a qualidade de vida.

As necessidades são ilimitadas em número, mas limitadas em capacidade. Ou seja, cada sujeito económico tem uma limitação natural na fruição económica. Defronta-se com a escassez de uns bens e com a abundância de outros, devendo adequar essa situação à satisfação das suas necessidades.

Tipologias dos bens

Bens Livres e Bens Económicos

Bens Livres e Bens Económicos

Noção de necessidades

•Necessidade: é um estado de carência que urge ser ultrapassado ou satisfeito. 

•O ser humano tem múltiplas necessidades, isto é, passa por estados de carência que representam mal-estar e que ele precisa de resolver. Dar resposta às constantes solicitações e problemas que vamos encontrando é, afinal, satisfazer necessidades um dos objetivos prioritários da Economia.

•As necessidades humanas são múltiplas e variam no tempo e no espaço. Existe uma enorme diversidade de necessidades que apresentam as seguintes características:

•   Multiplicidade: diz respeito ao facto do indivíduo sentir necessidades ilimitadas (múltiplas).

Segundo o psicólogo americano Maslow, as necessidades podem ser hierarquizadas em níveis diferentes, desde as fundamentais, como a alimentação, às de nível superior, onde se inclui a realização pessoal.

Ver Pirâmide de Maslow

Módulo I – Preparação para o Exame Nacional de Economia

Actividade Económica e a Ciência Económica

Actividade Económica e a Ciência Económica
Actividade Económica e a Ciência Económica

Necessidades tem várias carateristicas:

Multiplicidade: existem multiplas necessidades

Saciabilidade: capacidade de satisfazer a necessidade momentânea ou para sempre;

Ilimitadas: as necessidades tendem a ser ilimitadas, estão sempre a surgir novas necessidades;

Bens Livres Versus Bens Económicos

água da chuva, bem livre

água de garrafa é um bem económico.

O critério de classificação é que o segundo tem um custo de aquisição, logo é um bem económico.

Necessidades Bens Materiais e Bens imateriais

Necessidades de Bens Materiais ou físicas são aquelas que podem ser colmatadas com a aquisição de bens (materiais).

Exemplo: Tenho fome, se comer uma refeição vou saciar esta necessidade com recurso a um bem material.

Necessidade imateriais, temos que recorrer a serviços para as satisfazer.

Por ex: Pretendo aprender a falar espanhol, tirei um curso é um bem imaterial.

Necessidades Individuais e Colectivas

Necessidades individuais, dizem respeito a cada um de nós. Por ex: fazer uma viagem.

Necessidades coletivas, dizem respeito a todos. Independentemente de as termos realmente. São necessidade que não exclusivas.

ex: Segurança, Educação, Saúde…

Consumo – ato económico e ato social

•Consumo: é o ato de utilizar um bem ou serviço com vista à satisfação de necessidades. •

Consumo – ato económico

•O consumo representa um ato económico porque para satisfazermos determinadas necessidades em vez de outras e ao decidirmos consumir certos bens e serviços, estamos a efetuar escolhas com implicações em toda a economia •Ato Económico: comportamento relativo às funções estudadas pela ciência económica – produção, consumo, acumulação, repartição de rendimentos, etc. •

Consumo – ato social

Ato social: ao consumirmos estamos a dar origem a consequências que podem ser benéficas ou prejudiciais para nós, mas também para a actividade colectiva mais próxima ou para o Mundo.

Caracterização dos bens económicos

Bens Livres  / Bens Económicos

Bens livres são aqueles que existem em abundância não exigindo qualquer dispêndio de dinheiro ou trabalho na sua obtenção, como, por exemplo, o ar que respiramos.

Bens económicos: são os que existem em quantidades inferiores às necessárias para satisfazer todas as necessidades.

Quanto à duração:

Bens duradouros: São os que podem ser utilizados várias vezes. Por exemplo um telemóvel

Bens não duradouros: São bens que só podem ser usados uma única vez. Por exemplo: a farinha.

Quanto à função:

Bens de consumo: É um bem que é destinado ao consumo.

Por ex: um telemóvel para uso pessoal é um bem de consumo

Mas se o telemóvel for para uso profissional, transforma-se num bem de produção.

Bens de produção: são utilizados para o processo produtivo.

Bens quanto à sua relação;

Bens substituíveis: São bens que pelas suas características podem ser substituídos por outros semelhantes. Por ex: posso trocar o óleo de girassol pelo óleo de soja.

Bens complementares: São bens em que a existência implica a existência do outro. Por ex: Um carro implica a utilização de gasolina ou gasóleo.

A actividade económica e os agentes económicos

Podemos caracterizar a actividade económica como sendo o conjunto de acções que visam a produção de bens e serviços com o objectivo de satisfação das necessidades humanas.

Os bens percorrem um longo percurso desde o seu fabrico até ao momento em que são consumidos.

Numa primeira fase, passam pelo processo de produção, que é a actividade que possibilita a sua criação através de processos de transformação, como é o caso das matérias primas que após terem sido transformadas, dão origem a produtos acabados, prontos a serem comercializados.

A segunda fase é a distribuição, que engloba duas actividades: o transporte e o comércio.

Os bens por um lado têm de ser transportados desde o produtor até ao consumidor final ou outro agente que os possa usar como intermediários no processo de fabrico de outros bens.

O comércio, por outro lado, possibilita que os bens sejam colocados à disposição dos consumidores de uma forma prática e conveniente.

A comercialização dos bens gera rendimentos que são distribuídos por todos os agentes participantes na actividade económica. A esta distribuição chamamos de repartição dos rendimentos e revela o contributo de cada um no processo produtivo.

Desta forma, cada interveniente obtém os rendimentos de acordo com a sua participação na actividade económica:

Os trabalhadores são remunerados através de salários;

Os empresários recebem lucros;

Os proprietários de imóveis cobram rendas;

Os detentores de capital auferem juros.

Numa fase final os rendimentos gerados nas actividades de produção e distribuição de bens são utilizados. Os rendimentos da actividade económica podem ter dois destinos: o consumo ou a poupança.

O consumo consiste na utilização imediata de um rendimento na aquisição de bens e serviços de modo a permitir a satisfação das necessidades atuais. A poupança é a utilização do rendimento diferida no tempo, isto é, a renuncia dos detentores de capital poderem utilizar no momento presente o capital para o poderem consumir no futuro.

Em conclusão:

A actividade económica divide-se em 4 actividades: Produção, Distribuição, Repartição e a Utilização dos Rendimentos (incluí o Consumo e a Poupança).

Agentes económicos

Todos nós participamos de alguma forma na actividade económica, quer seja no consumo, quer quando contribuímos para a produção ou quando estabelecemos relações de troca com outros países.

Designamos por agentes económicos todas as entidades individuais ou colectivas que se agregam numa categoria por desempenharem a mesmas função na actividade económica.

Tipo de agentes económicos
Actividade Económica e a Ciência Económica – Agentes Económicos

Famílias: é a categoria que dá especial importância ao consumo. Agrega os indivíduos como consumidores.

Empresas: Incluem-se todas as unidades produtivas de um país que contribuem para a criação de bens e serviços. A produção é a sua principal função.

Estado: ou Administração Pública – incluí a Administração Central, as Autarquias locais e a Segurança Social, tem como principal função promover a satisfação das necessidades colectivas.

Resto do Mundo: Este agente reflecte a abertura das economias nacionais à comunidade internacional, apresentando as relações económicas que se operam entre um país e o Resto do Mundo,

Conceitos a rever:

Actividade económica: compreende o conjunto de acções que têm como finalidade a produção de bens e serviços capazes de satisfazer as necessidades humanas. Engloba as actividades de Produção, Distribuição, Repartição e a Utilização de rendimentos, incluí o Consumo e a Poupança.

Custo de oportunidade: Representa o sacrifício da melhor alternativa sacrificada, durante uma escolha em que é dada prioridade a outra necessidade.

Fenómenos económicos: São fenómenos sociais abordados numa perspectiva económica.

Fenómenos sociais – São os acontecimentos resultantes da vida em sociedade.

Problema económico (escassez) – O Problema Económico, resulta da escassez dos recursos face às necessidades que são ilimitadas (necessidades humanas). Este problema exige que, depois de as necessidades estarem hierarquizadas, se façam escolhas, pois nem todas poderão ser satisfeitas.

Realidade Social – Representa o conjunto de fenómenos sociais que podem ser observados numa sociedade em cada momento.

Módulo I – Preparação para o Exame Nacional de Economia

Actividade Económica e a Ciência Económica

Questões de Revisão – Exames Nacionais

Tema abordado: Módulo I – Actividade Económica e a Ciência Económica

Questão 1

Em Economia, a noção de escassez está relacionada com o facto de
(A) a realidade social poder ser estudada segundo diferentes perspectivas.
(B) os recursos serem insuficientes face às necessidades dos indivíduos.
(C) os custos de produção das empresas poderem, por vezes, ser diminuídos.
(D) a ciência económica fazer previsões que nem sempre se verificam.

Questão 2

A sensação de sede vai desaparecendo à medida que vamos ingerindo quantidades adicionais de água,
até que a necessidade de beber água desaparece. A característica das necessidades que a afirmação
anterior ilustra é a
(A) intensidade.
(B) saciabilidade.
(C) substituibilidade.
(D) multiplicidade

Questão 3

Os bens fisicamente incorporados no fabrico de outros são classificados como bens…
A. … duradouros.
B. … substituíveis.
C. … de produção.
D. … de consumo.

Questão 4

Bens livres são aqueles que…
A. … existem na natureza em quantidades ilimitadas.
B. … existem à venda em mercados de concorrência.
C. … são vendidos sem prévia autorização legal.
D. … são vendidos livremente no mercado

Questão 5

A distribuição é uma actividade económica que engloba…
A. … a produção e o consumo.
B. … o consumo e os transportes.
C. … a produção e o comércio.
D. … o comércio e os transportes.

Questão 6

O automóvel é uma necessidade primária.
Esta afirmação é…
A. … verdadeira, porque o automóvel é essencial para deslocações na cidade.
B. … falsa, porque o automóvel é um bem e não uma necessidade.
C. … verdadeira, porque o automóvel pode facilmente adquirir-se a crédito.
D. … falsa, porque o automóvel prejudica o ambiente, quando utilizado na cidade.

Questão 7

De uma forma simplificada, pode afirmar-se que o objecto de estudo da Ciência Económica é o
problema…
A. … da escolha num contexto de escassez de recursos.
B. … do crescimento demográfico nos países em desenvolvimento.
C. … da evolução tecnológica no contexto da mundialização.
D. … do desequilíbrio ambiental nos países desenvolvidos

Questão 8

Os bens podem ser classificados em bens materiais e bens imateriais ou serviços. Constitui
exemplo de uma empresa produtora de bens materiais uma empresa…
A. … seguradora.
B. … transportadora.
C. … agrícola.
D. … publicitária.

Questão 9

Os recursos de que o Homem dispõe em cada momento revelam-se insuficientes para satisfazer
todas as suas necessidades. Este facto designa-se por…
(A) escassez.
(B) custo de oportunidade.
(C) racionalidade.
(D) actividade económica.

Questão 10

Podemos classificar as necessidades e os bens de acordo com vários critérios. Assim, o pão
comprado pelas famílias é…
(A) um bem económico e satisfaz uma necessidade primária.
(B) um bem económico e satisfaz uma necessidade colectiva.
(C) um bem livre e satisfaz uma necessidade individual.
(D) um bem livre e satisfaz uma necessidade secundária

Questão 11

A Ciência Económica está intimamente relacionada com a questão da escassez, na medida em que, se há
escassez, é necessário
(A) consumir bens.
(B) efetuar escolhas.
(C) utilizar recursos.
(D) realizar investimentos

Questão 12

As Famílias constituem um agente económico cuja função principal é
(A) consumir bens e serviços.
(B) realizar poupança.
(C) produzir bens e serviços.
(D) redistribuir o rendimento

Questão 13

A escolha é uma questão fundamental em Economia, pois as necessidades humanas
(A) alteram-se com o tempo e os recursos disponíveis são ilimitados.
(B) são ilimitadas e os recursos disponíveis são escassos.
(C) são substituíveis e os recursos naturais são renováveis.
(D) variam no espaço e os recursos naturais são ilimitados.

Questão 14

A iluminação das ruas de uma cidade satisfaz uma necessidade
(A) colectiva.
(B) individual.
(C) pública.
(D) privada.

Questão 15

O Manuel gastou 500 euros do seu salário mensal na aquisição de um computador portátil e constituiu
um depósito a prazo no valor de 1000 euros. Estas operações realizadas pelo Manuel integram-se na
actividade económica designada por
(A) distribuição.
(B) repartição de rendimentos.
(C) utilização de rendimentos.
(D) produção.

Questão 16

Uma empresa agrícola cultiva morangos nas suas estufas. A actividade desenvolvida pela empresa no
cultivo de morangos integra-se na actividade económica designada por
(A) distribuição e faz parte do agente económico Sociedades não Financeiras.
(B) distribuição e faz parte do agente económico Sociedades Financeiras.
(C) produção e faz parte do agente económico Sociedades Financeiras.
(D) produção e faz parte do agente económico Sociedades não Financeiras.

Questão 17

A utilização de papel e de tinta pela impressora dos serviços administrativos da empresa «Bom Dia»,
propriedade de dois amigos, constitui um consumo
(A) intermédio e privado.
(B) final e público.
(C) final e privado.
(D) intermédio e público.

Questão 18

A ciência económica tem por objecto de estudo a escolha. Esta afirmação é
(A) falsa, pois a Economia estuda a aplicação dos factores de produção naturais escassos na maximização
do bem-estar da sociedade.
(B) falsa, pois o objecto de estudo da Economia é o conjunto das funções realizadas pelos agentes
económicos de um país.
(C) verdadeira, pois a Economia estuda a aplicação de recursos escassos na satisfação de necessidades
múltiplas e ilimitadas.
(D) verdadeira, pois o objecto de estudo da Economia é o conjunto das actividades transformadoras de bens
livres.

Questão 19

.Num dado mês, uma empresa pagou 1000 euros pelo arrendamento de um armazém e pagou prémios de
produtividade aos trabalhadores no valor total de 5000 euros. Estes pagamentos efectuados pela empresa
integram-se na actividade económica designada por
(A) produção.
(B) repartição dos rendimentos.
(C) redistribuição dos rendimentos.
(D) distribuição.

Questão 20

Numa dada economia, uma empresa privada de transporte rodoviário de passageiros decidiu despender
100 milhões de euros na compra de novos autocarros, com o objectivo de retirar de circulação os veículos
degradados, proporcionando uma melhoria da qualidade do serviço prestado.
Para a empresa, a aquisição dos novos autocarros constitui um exemplo de
(A) consumo final, e o conjunto dos novos autocarros é considerado uma parcela da formação bruta de
capital fixo dessa empresa.
(B) consumo final, e o conjunto dos novos autocarros é considerado uma parcela da variação de
existências dessa empresa.
(C) investimento material, e o conjunto dos novos autocarros é considerado uma parcela da variação de
existências dessa empresa.
(D) investimento material, e o conjunto dos novos autocarros é considerado uma parcela da formação
bruta de capital fixo dessa empresa.

Questão 21

Em Economia, a utilização de rendimentos é a actividade económica que integra
(A) o consumo e a produção.
(B) o consumo e a poupança.
(C) a distribuição e a produção.
(D) a distribuição e a poupança

Questão nº22

Uma câmara municipal fornece aos alunos das escolas básicas um lanche constituído por um pacote de
leite e uma sandes. O João, aluno de uma das escolas básicas, ao consumir o referido lanche, satisfaz
uma necessidade
(A) individual e primária.
(B) final e privada.
(C) colectiva e duradoura.
(D) essencial e pública.

Questão nº23

As sociedades privadas com fins lucrativos, cuja função principal é prestar serviços de intermediação
financeira, fazem parte do agente económico denominado instituições financeiras. A actividade destas
sociedades consiste, por exemplo, em
(A) produzir bens não mercantis.
(B) receber depósitos e conceder empréstimos.
(C) consumir bens não económicos.
(D) utilizar recursos ilimitados e conceder subsídios

Questão nº24

A redistribuição dos rendimentos é uma função que cabe ao agente económico…
A. … Famílias.
B. … Resto do Mundo.
C. … Empresas.
D. … Estado

Questão nº25

A família Lopes comprou madeira para queimar na lareira da sua habitação. A madeira assim
utilizada classifica-se como um bem de…
A. … produção.
B. … consumo final.
C. … consumo intermédio.
D. … investimento.

Questão nº26

O que implica a escassez de recursos?

a)A intervenção do Governo na distribuição dos bens;

b)A não existência de custo de oportunidade;

c)A existência de custos de oportunidade crescentes;

d)Impossibilidade dos bens satisfazerem as necessidades ilimitadas dos indivíduos;

e)Nenhuma das alíneas anteriores

Questão nº27

Indique o conceito que melhor traduz a quantidade de outros bens ou serviços que se perde/abdica para obter/consumir determinado bem.

a)Escassez;

b)Custo de Oportunidade;

c)Externalidade;

d)Produtividade;

e)Nenhuma das alíneas anteriores.

Questão nº28

O que implica a escassez de recursos?

a)A intervenção do Governo na distribuição dos bens;

b)A não existência de custo de oportunidade;

c)A existência de custos de oportunidade crescentes;

d)Impossibilidade dos bens satisfazerem as necessidades ilimitadas dos indivíduos;

e)Nenhuma das alíneas anteriores

Questão nº29

Identifique uma das principais características dos bens económicos. a)Utilidade;

b)Escassez;

c)Implicam opções;

d)Todas as alíneas anteriores;

e)Nenhuma das alíneas anteriores.

Questão nº30

Adaptado Exame M23

Ver também

Temas para Preparação para Exame Nacional

Explicações Economia Online
Explicações Economia Online