A repartição funcional dos rendimentos

A repartição funcional dos rendimentos

Rendimentos primários: rendimentos que ocorrem na repartição primária – salários, rendas, juros e lucros. Podemos ainda distinguir dois tipos de rendimentos primários: os rendimentos provenientes do fator trabalho (salários) e os rendimentos provenientes do fator capital (rendas, juros e lucros).
Rendimentos secundários: rendimentos provenientes de transferências sociais que o Estado efetua para os agentes económicos – subsídio de desemprego, de doença, de invalidez, etc.

A repartição funcional dos rendimentos é a análise da forma como o rendimento se reparte pelos fatores intervenientes no processo produtivos, de acordo com a função por eles desempenhada. Neste tipo de repartição, considera-se a divisão do rendimento total nos rendimentos primários referidos: os salários, as rendas, os juros e os lucros.

Salário

O salário corresponde à parte do rendimento que é auferido pelo trabalhador em troca do trabalho realizado no processo produtivo.

  • Salário Directo: quantidade de moeda que o empresário paga aos trabalhadores pela sua participação no processo produtivo, este salário inclui todos os encargos que o trabalhador e o empresário têm de pagar ao Estado, como os impostos directos e as contribuições para a Segurança Social.
  • Salário Indirecto: quando se verifica o recebimento de moeda que não derivou de uma participação direta no processo produtivo, como as transferências do Estado, sob a forma de subsídios, para algumas famílias.

 

Os salários devem ser observados de duas perspectivas diferentes: a do trabalhador, que encara o salário como uma fonte de receita, e a da entidade patronal, que vê os salários e as demais despesas com o pessoal como um custo, uma fonte de despesa.

 

  • Salário Bruto ou Ilíquido: salário ao qual ainda não foram deduzidos os impostos e as contribuições sociais.
  • Salário Líquido: aquele que é efectivamente o salário recebido, ou seja, salário deduzido e impostos e contribuições sociais. (Salário – impostos – contribuições sociais)

 

  • Salário Nominal: representa a quantidade de moeda que um individuo recebe em troca do seu trabalho.
  • Salário Real: diz respeito à quantidade de bens e serviços que é possível adquirir com o salário nominal, levando-se em conta o efeito da inflação, expressando assim o poder de compra das famílias.

 

  • Exemplo:

Aumento do salário nominal = 20%

Índice de preços no consumidor = 110 / Taxa de inflação = 10%

Aumento do salário real = (120/110) x 100 = 109

 

Apesar do aumento do salário nominal ter sido de 20%, o salário real apenas aumentou 9%,

pois a taxa de inflação foi de 10%.