6. Rendimentos e repartição dos rendimentos

6. Rendimentos e sua repartição

6. Rendimentos e repartição dos rendimentos
6. Rendimentos e sua repartição

Rendimentos e sua repartição

Capítulo 6 – Rendimentos e sua repartição

Rendimentos e sua repartição

Rendimentos e repartição dos rendimentos

A atividade produtiva e a formação dos rendimentos

A produção é a actividade onde se geram os bens capazes de satisfazerem as nossas necessidades.

Para produzir os bens de que necessitamos, precisamos de utilizar fatores de produção capital e trabalho. Os elementos materiais e humanos que se empregam na atividade produtiva, como a força de trabalho, as máquinas, os edifícios, as matérias primas e o capital investido.

A utilização dos fatores produtivos na atividade económica gera  rendimentos, através da venda dos bens e serviços produzidos que é distribuído pelos vários elementos que participam na produção.

Os rendimentos são os fluxos que se geram na atividade produtiva, através da utilização do capital e do trabalho, e que são posteriormente distribuídos pelos vários agentes intervenientes.

A combinação dos fatores produtivos permite-lhe criar valor.  Valor acrescentado é o valor adicional que é criado através da atividade da produção de bens e serviços.

O valor acrescentado é, o valor adicional que é gerado em cada processo produtivo e que representa a riqueza que foi efetivamente criada por cada unidade produtiva.

Por exemplo: Se fizer um quadro que tem determinado valor, o valor acrescentado representa a diferença entre o valor final e o custo de produção que inclui as tintas, a tela, os pincéis, etc.

Os rendimentos serão distribuídos através do que designamos de repartição do rendimento.

Repartição dos rendimentos

Repartição dos rendimentos
repartição funcional do rendimento

6. Rendimentos e sua repartição

Rendimento primário é aquele que é gerado naturalmente na economia sem a intervenção do Estado.

Diferentes formas de rendimento primário:

Rendimento do fator trabalho: salários

O salário pode ser constituído por uma remuneração fixa, quando é paga uma quantia certa, estipulada por meio de um contrato de trabalho. Contudo podem existir valores extra como por exemplo comissões que valores variáveis ou prémios.

Em alguns casos para além do salário-base, existem possíveis comissões e eventuais prémios, um trabalhador pode ainda beneficiar de regalias adicionais como o uso de automóvel ou telemóvel da empresa, seguros, bolsas de estudo e subsídio de alimentação, etc.

Factor Capital

Rendimento do fator capital: Rendas (propriedade), Juros (capital), Lucros (capital, investimentos).

A repartição funcional do rendimento é a que decorre de acordo com as funções estabelecidas  por cada  agente económico.

Repartição funcional do rendimento
Repartição funcional do rendimento

rendimentos e repartição de rendimentos, repartição funcional dos rendimentos, rendimentos primários, remuneração do trabalho, remuneração do capital.

Rendimentos Primários:

Rendimentos provenientes trabalho:

Rendimentos provenientes capital:

Remuneração do trabalho, o salário

O salário é a forma de rendimento de um trabalhador dependente.

O trabalho dependente é realizado por conta de outrem não é realizado por conta própria.

O salário tem duas componentes de rendimento, rendimento fixo e rendimento variável.

Em certas profissões como no caso das vendas é muito frequente o rendimento variável sob a forma de bónus ou de comissões.

Para além do salário base, possíveis comissões e eventuais prémios, ou regalias adicionais, como o uso de automóvel ou telemóvel,  subsidio de alimentação.

Mas os salários, como constituem uma fonte de rendimento estão sujeitos ao pagamento de impostos, o IRS, imposto sobre o rendimento das pessoas singulares e também implicam o pagamento à segurança social (quotizações sociais).

Esses pagamentos fazem com que seja necessário distinguir dois tipos de salário: Salário iliquido ou bruto, e salário líquido.

Salário iliquido ou Salário Bruto é o salário antes de serem descontados os impostos e as contribuições para a segurança social.

Salário liquido é o salário que temos depois de descontados os impostos e as contribuições para a segurança social.

Salário líquido = rendimento disponível = Salário Bruto – Impostos – Contribuições Sociais.

Salário nominal corresponde ao valor em quantidade de moeda que recebemos em troca do nosso trabalho. Por ex: 1000€.

Salário nominal versus Salário Real

Salário real: é o que podemos  consumir com o nosso salário nominal. Reflete o nível de poder de compra.

Representa o poder de compra face a um determinado valor salarial.

Ex: O Tiago tem um salário de 1000€ (2018), teve um aumento de 20€ no ano 2019. Sabendo que tivemos uma inflação de 2,5% o que reflete esta situação em termos de salário real?

Aumento de 20€ = aumento de 2% do salário nominal

Com a inflação é 2,5% > 2%, temos uma diminuição do salário real em 0,5%.

Significa que o Tiago perdeu 5€ do seu poder de compra no ano 2019.

Salário real corresponde ao poder de compra do salário nominal.

Por ex; 1000€ em Portugal não é o mesmo que 1000€ na Indonésia,

O nível de preços pode ser responsável pela alteração do salário real.

Se num determinado ano ocorrer um aumento dos salários em 1,5% mas também existir uma inflação de 2% então, o salário real vai decrescer em relação ao ano anterior. Os preços subiram mais em relação ao aumento do salário.

Houve um decréscimo do poder de compra.

O salário do António aumentou 3% + Tx inflação

IPC 2018 = 103,54

IPC 2019 = 103,85

Cálculo da Taxa Inflação = (103,85-103,54)/103,54 = 0,3%

Taxa de aumento Salarial do Sr António é 3,3% logo 3,3% equivale ao aumento salarial de 66€ (aumento mensal do Sr António)

Encontrar o valor do salário do Sr António

3,3% equivale a 66€, logo 100% são 2000€

Passou a receber 2066€ (2019), como a inflação subiu 0,3% significa que o seu salário real passa para 2066€ – 6€ = 2060€

Neste caso, apesar de ter tido um aumento de 66€, só 60€ representam o crescimento do salário real.

6. Rendimentos e sua repartição – Rendimento Real e Rendimento nominal

Rendimento nominal versus Rendimento real

6. Rendimentos e repartição dos rendimentos
Rendimento nominal versus Rendimento real

Rendimento nominal versus Rendimento real

Muitas vezes falamos em Rendimento real mas este não corresponde ao valor nominal do nosso rendimento.

Rendimento nominal corresponde à quantidade de moeda de que o consumidor dispõe.

Rendimento real quantidade de bens e serviços que pode adquirir com a quantidade de moeda disponível. O rendimento real mede o nosso poder de compra

Em alguns casos o aumento do salário nominal não representa um aumento do poder de compra.

Esta situação está relacionada com a taxa de inflação.

Se o crescimento do salário nominal > crescimento da inflação =>Existe um aumento do poder de compra

Se o crescimento do salário nominal = crescimento da inflação =>Não há alteração do poder de compra

Se o crescimento do salário nominal < crescimento da inflação =>Existe uma diminuição do poder de compra

Remuneração do capital

Remuneração do Capital
Remuneração do Capital

Rendas: é a remuneração que é paga em contrapartida da utilização de um imóvel.

O arrendamento ocorre quando uma pessoa , que é proprietário de um bem imóvel, cede a utilização durante um determinado período de tempo, mediante o pagamento de uma renda.

Juros

O juro é o valor que se recebe pela cedência de capital. O juro, é o preço do dinheiro e varia de acordo com a procura e oferta de capital.

O juro é a principal fonte de rendimento das instituições bancárias as operações bancárias podem ser:

ativas quando o juro corresponde a empréstimos concedidos

Taxas de Juro activas: são as taxas cobradas pelos bancos nos empréstimos bancários.

passivas: quando o juro corresponde à remuneração de depósitos bancários. captação de poupanças.

Taxas de Juro passivas: são as taxas de remuneração dos depósitos bancários.

Lucros

O lucro é a remuneração do capital empregue numa unidade produtiva, durante um determinado período de tempo. O lucro constitui uma forma de retribuição do investimento inicial que os empresários fizeram, mas deve também ser suficiente para compensar o risco, a iniciativa e a capacidade de realização envolvida para levar a cabo um projecto.

O lucro é uma forma de rendimento variável pois depende da forma como as empresas são geridas em diferentes realidades e como lidam com diferentes conjunturas.

O Lucro pode ser cálculo pela diferença entre o preço de venda e o preço de custo.

LUCRO BRUTO = PREÇO DE VENDA – PREÇO DE CUSTO

Existe também uma componente do capital, o capital fixo que representa os meios de que a empresa dispõe e que podem ser usados em vários ciclos produtivos sem perderem as suas qualidades. Contudo, com o passar do tempo, os equipamentos vão sofrendo um desgaste natural e, por vezes, avariam ou ficam desactualizados, tornando-se obsoletos. Nestas situações as empresas vêm-se obrigadas a reparar ou substituir o capital fixo, de modo a não diminuir a sua capacidade produtiva.

Desta forma o lucro líquido é o valor gerado pela empresas após serem deduzidos os encargos com a reposição do capital fixo. Para calcular o valor do capital fixo baste deduzir ao lucro bruto o montante das amortizações.

LUCRO LÍQUIDO = LUCRO BRUTO – AMORTIZAÇÕES

Amortizações ou Depreciações = Desgaste do capital fixo.

Todo o imobilizado corpóreo sofre desgaste que se reflecte nas amortizações.

A Repartição pessoal dos rendimentos

Nesta ótica, observam-se os rendimentos numa perspectiva pessoal.

Nem todas as famílias têm a mesma estrutura de rendimentos: uma recebem apenas salários, outras lucros, rendas ou juros, mas existem famílias que têm formas diferenciadas de rendimentos, isto é, recebem rendimentos provenientes da participação em várias funções na actividade económica.

Repartição do rendimento:  forma como é distribuído o rendimento de um país.

Repartição funcional dos rendimentos: forma de distribuição do rendimento que é feita de acordo com a função que cada agente desempenhou na atividade económica.

Repartição pessoal dos rendimentos: Forma de distribuição do rendimento que indica a composição dos rendimentos dos diversos agregados familiares de uma população.

Disparidades na repartição dos rendimentos

Principais disparidades na repartição dos rendimentos:

Fator capital com remunerações superiores ao fator trabalho;

Algumas famílias acumulam vários tipos de rendimento e outras não;

Diferenças salariais;

Disparidades regionais;

Disparidades em função do género.

Leque Salarial

O Leque salarial representa a relação existente entre o salário máximo e o salário mínimo num determinado país. Quanto mais alargado for o leque salarial maiores são as disparidades de rendimentos existentes num determinado país.

Leque Salarial = Salário Máximo / Salário Mínimo.

é uma medida de análise da disparidade salarial.

Curva de Lorenz

é uma curva que representa graficamente a distribuição dos rendimentos de determinado país. Trata-se de um método estatístico que permite analisar a repartição dos rendimentos da população de um país, possibilitando a comparação de dados entre vários países, em diferentes períodos de tempo.

Curva de Lorenz – Exame Nacional 2016

De acordo com a análise da Curva de Lorenz, verificamos que no país B 70% da população tem acesso apenas a 35% do rendimento e que 5% da população mais rica tem acesso a 25% do rendimento. Em relação ao país A temos que 60% da população tem acesso a 45% do rendimento e que os 15% mais ricos têm acesso a 25% de todo o rendimento.

O país A apresenta menor desigualdade quando comparado com o país B.

Rendimento per capita

O Rendimento per capita é um rácio que serve de indicador do nível médio de rendimento de uma população e que é calculado através do quociente entre o Rendimento Nacional e a população Total de um país.

Assim:

Rendimento per capita = Rendimento Nacional / População total.

Em países onde exista uma grande disparidade de rendimentos o Rendimento per capita pode induzir a interpretações erradas acerca dos valores obtidos. Pois a grande desigualdade permite em alguns casos valores médios que não se reflectem na realidade económico- social do país.

Rendimento disponível

Rendimento disponível

Rendimento disponível

Rendimento – impostos – quotizações sociais = rendimento disponível

É a parte do rendimento que nos fica disponível após pagarmos as nossas contribuições (fiscais e sociais).

Um aumento da carga fiscal sempre que seja superior ao aumento do rendimento, gera uma diminuição do rendimento disponível.

Um aumento da carga fiscal pode originar uma quebra no rendimento disponível.

Impostos Conceitos Essenciais

Imposto: é toda a prestação pecuniária cobrada aos cidadãos, em determinadas situações previstas na lei. Estes podem ser diretos ou indiretos.

Imposto direto: é todo o imposto que incide diretamente sobre os rendimentos ou sobre o património, como por exemplo o IRS (Imposto sobre o rendimento Singular) ou o IRC (Imposto sobre rendimento colectivo).

Imposto indireto – é o imposto que recai sobre a utilização do rendimento pelos indivíduos (consumo), IVA, o IA ou o ISP.

Redistribuição dos rendimentos – definição

Redistribuição dos rendimentos – definição

A redistribuição dos rendimentos constitui uma operação de repartição secundária destinada a corrigir a repartição primária e pessoal dos rendimentos,

Rendimento Pessoal Disponível

Podemos considerar como sendo o conjunto dos rendimentos primários e secundários recebidos por cada indivíduo, depois de deduzidos os descontos obrigatórios.

Rendimentos Primários (Salários, rendas, juros e lucros) + Rendimentos Secundários (Transferências internas e transferências externas) – Impostos e Quotizações Sociais = Rendimento Pessoal Disponível

As desigualdades na repartição de rendimentos em Portugal e na União Europeia.

Salário mínimo deve manter posição no ranking europeu - JN

fonte: https://www.jn.pt/economia/salario-minimo-deve-manter-posicao-no-ranking-europeu-11516956.html

Exercícios saídos em exame:

Rendimentos e repartição dos rendimentos

Actividade Económica e a Ciência Económica