Poupança e Investimento Resumo

Poupança e Investimento Resumo

Poupança e Investimento Resumo

Poupança e Investimento Resumo

A Poupança está diretamente ligada com o investimento.

O investimento é gerado pela poupança da pessoa que investe ou por poupança de outros, quando se recorre ao crédito.

Rendimento Pessoal disponível = Rendimento – Impostos – Quotização Social

O rendimento disponível pode ser canalizado:

Poupança: É a parte do rendimento que não é consumido.

Costumamos dizer que o Investimento é igual à poupança, porque na realidade qualquer investimento é fruto de capitais próprios (poupança pessoal) e de capitais alheios (crédito em que o capital é derivado da poupança de terceiros).

Consumo

Em Portugal a taxa de poupança tem vindo a diminuir nos últimos anos.

poupança poup

Principais razões para a poupança

Motivos para a poupança

Principais razões para a poupança

Especulação: Poupança é criada para a realização de investimento por motivos especulativos.

Podemos querer adquirir algo que saibamos que vai futuramente valorizar e desta forma podemos aumentar o nosso capital.

Incerteza: O receio quanto ao futuro, instabilidade no emprego, receio face à reforma, ajuda a familiares. Estes motivos fazem com que ocorra uma poupança para precaução.

Em épocas de crise é uma das razões principais para a poupança.

Despesa Futura: Muitas vezes para adquirirmos bens com valor mais elevado (ex: um carro), recorremos à poupança para podermos fazer uma aquisição futura. Consumo também pode gerar poupança para a sua aquisição, por exemplo a compra de um computador, ou outro bem que seja mais dispendioso.

Neste caso o consumismo tem vindo a influenciar os níveis de poupança.

Consumismo

Consumismo

Os destinos da poupança

Existem 3 destinos possíveis para a poupança:

1 – Colocação financeira

2 – Entesouramento

3 – Investimento

1 – Colocação Financeira – consiste na aplicação da poupança em produtos financeiros disponibilizados pelas instituições financeiras (ex: depósitos a prazo, certificados de aforro, planos de poupança, fundos de investimento, ações, obrigações, etc).

Existe uma relação inversa entre poupança e consumo. Isto significa que quanto maior é o consumo menor é a poupança e vice versa.

Também existe uma relação entre nível de rendimento e poupança. Tendencialmente quanto maiores forem os níveis de rendimento também maiores deverão ser os níveis de poupança. Embora dependa também da estrutura de consumo de cada família.

Taxa de juro e poupança, uma taxa de juro mais elevada favorece também um incremento da poupança pois o capital passa a ser melhor remunerado e existe por esse motivo uma maior compensação pela renúncia ao consumo presente.

Os destinos da poupança – a importância do investimento

Poupança – Colocação financeira

Aplicação da poupança em produtos financeiros. Bilhetes de tesouro, dep. a prazo, certificados de aforro, planos de poupança ou fundos de investimento.

Existem várias componentes associadas à colocação financeira

Investimento:

Formação bruta de capital fixo (FBCF): implica o investimento em imobilizado ou qualquer outro tipo de bens duradouros. A sua aquisição implica a realização de amortizações, que englobam o desgaste do capital fixo. Por ex: a aquisição de um automóvel implica que este tenha uma depreciação do seu valor que tem que ser considerada através das amortizações.

Variação de existências: que representa as variações de stocks entre dois períodos diferentes. Normalmente, considera-se o período de um ano, o stock existente em 1 Janeiro e comparado com o existente em 31 de Dezembro.

Investimento

Investimento material: quando a aquisição de bens tangíveis, pressupõem existência física, bens corpóreos; ex: compra de um carro.

Investimento imaterial: quando se refere à aquisição de bens intangíveis, bens não corpóreos, como a prestação de serviços, design, marcas, patentes, ou software, publicidade e valor da marca.

Investimento financeiro: investimento que é resultado de aplicação em ativos financeiros: ações ou obrigações.

Investimento quanto á função:

Investimento de substituição: para assegurar a capacidade produtiva devemos repor o capital à medida que vai sendo utilizado. Por exemplo quando tenho um computador que se torna obsoleto e vou comprar um nova para o substituir é um investimento de substituição.

Investimento de capacidade: para a realização de uma atividade que exige mais recursos é muitas vezes aumentar a capacidade produtiva. Uma empresa que tem um servidor X, este servidor tem capacidade para 30 clientes, com o crescimento da empresa temos que comprar um novo servidor para poder alojar mais clientes.

Investimento de inovação: aumento da eficiência e racionalização, por ex: um software que consiga ser mais rápido e prático.

Investimento quanto ao agente

Investimento Público ou Investimento Privado

Investimento Público: Investimento em hospitais, escolas, estradas,acessibilidades, etc.

Investimento Privado: empresas, criação de postos de trabalho, investigação e desenvolvimento, etc.

A inovação tecnológica e investigação e desenvolvimento (I&D)

O investimento em inovação implica a valorização da marca e do produto. Vai implicar o fator diferenciação. Na sociedade de consumo a invenção e inovação resulta não só na criação de novos produtos mas também na melhoria dos produtos já existentes.

Não são só as empresas que investem em inovação também o Estado é responsável por uma grande quota parte do investimento em particular na questão da saúde,

Na atualidade, a investigação assume um papel de extrema importância na competitividade pois o desenvolvimento de novos produtos e processos produtivos ocorre com uma frequência cada vez mais curta. A aposta no I&D é crucial na questão da produtividade e da competitividade.

 

 

Repartição do rendimento

Repartição do rendimento

Rendimento: bens e serviços produzidos são contabilizados sobre a forma de rendimento. São bens económicos e criam riqueza (rendimento).

A produção origina rendimento.

Valor acrescentado é a parte do rendimento que retirada a componente dos custos fica para o empresário que investiu.

Receita – Custos = Mais valia, valor acrescentado.

Repartição Funcional dos rendimentos

Os rendimentos são repartidos sobre as seguintes formas: Salários, rendas, pensões, lucros e juros.

Salário está afetado ao fator trabalho

Pensões está afetado ao fator trabalho

Rendas estão afetadas ao fator capital, proprietário de imóveis.

Os Juros estão afetados ao fator capital, capital depositado

Os lucros estão afetados ao fator capital, capital investido.

Rendimentos primários

Rendimentos em contrapartida direta, trabalho – salário. Contrapartida indireta, rendas, juros e lucros.

 

Sálário iliquido ou bruto é o salário antes dos descontos para SS e retenção fonte IRS. Depois de pagos os descontos passamos ao salário líquido.

Renda: é a parte do rendimento que é entregue aos proprietários da terra ou de imóveis.

Juro: é a parte do rendimento que é entregue para os detentores de capital;

Lucro: é a parte do rendimento que implica investimento por parte do empresário e que obtidas as receitas deduzidas das despesas incluido as amortizaçõe, origina o apuramento dos lucros.

Lucro líquido = Lucro Bruto – Amortizações

Rendimentos Primários

Rendimentos de propriedade: Rendas, juros, Dividendos, mais valia, etc.

Rendimento de trabalho:

Salários, gratificações, prémios, grojetas, etc.

Desigualdade na repartição dos rendimentos?

  1. Leque salarial, países onde o leque salarial é maior tendem a demonstrar maior desigualdade na repartição do rendimento. O leque salarial é o quociente entre o Salário mínimo e o Salário máximo = Salário mínimo/ Salário máximo por: país Z tem salário mínimo 500€ e salário máximo 6500€. O leque salarial no país Z = 500/6500 = 0,077. Isto significa que o salário máximo equivale a 13 vezes o salário mínimo.
  2. Famílias que acumulam várias fontes de rendimento. Ex: Família de produtores agrícolas que têm uma loja para venderem os seus produtos. Têm a receita da produção, mais a receita da venda dos produtos na loja.
  3. Disparidade entre o capital e o trabalho. Normalmente os rendimentos afetos ao capital são muito superiores aos rendimentos do trabalho.  O país Z tem um imposto sobre o capital de 25%, o que significa que em cada 1000€ de rendimento, 250€ são afetados para imposto. No caso de rendimento do trabalho a carga fiscal pode tornar-se mais elevada a partir de determinados valores.

Principais disparidades na repartição dos rendimentos:

Fator capital com remuneração superiores ao fator trabalho;

Algumas famílias acumulam vários tipos de rendimento e outras não;

Diferenças salariais;

Disparidades regionais;

Disparidades em função do género.

irs

Salário nominal – é o valor nominal do salário. Por ex: 720,00€

Salário real – é o que podemos comprar com o valor do salário nominal, poder de compra.

O salário real depende da taxa de inflação, porque a subida de preços no caso de ser superior aos aumentos salariais implica diminuição do poder de compra.

rendimento

Modo de medição da desigualdade – Curva de Lorenz

curva lorenz

Rendimento per capita – razão entre o rendimento total país PIB/ pop total.

Na questão da redistribuição têm um papel importante a carga fiscal e a quotização social.

Na questão das empresas temos a taxa de IRC  e o IVA.

Rendimento Pessoal Disponível = Rendimento primários + Transferências sociais – Impostos -Quotizações Sociais = Rend disponível.

O Estado tem o papel de promoção da equidade, de beneficiar em sede fiscal os que têm menos rendimento face aos que têm salários mais elevados.

Diferença entre invenção e inovação

Diferença entre invenção e inovação

A invenção requer a descoberta de um novo produto ou de uma nova técnica de fabrico revolucionária.

A inovação é a melhoria de algo que já existe sem ser obrigatoriamente algo de novo.

Inclusive existe cada vez mais uma forma de inovação que é a inovação aperente. Por ex: uma manteiga que tem um aditivo com um sabor e é a apresentada como um novo produto.

 

 

Investimento quanto ao agente

Investimento quanto ao agente

Investimento Público: quando o agente responsável pelo investimento é o próprio estado; Investimento em escolas, hospitais, saneamento básico, pontes, etc.

Investimento privado: quem executa o investimento é particular. Por ex. criação de um centro comercial.

 

Investimento quanto à função

Investimento quanto à função

Invertimento de substituição: renovação de existências;

Investimento de inovação: melhoria dos processos de fabrico, melhoria de eficiência e competitividade, racionalização da atividade. Pode ser realizado pela aquisição de máquinas mas também cada vez mais pode ser realizado pela introdução de melhores sistemas de software.

Investimento de capacidade: investimento em equipamentos, ampliação de instalações, melhoria da rentabilização de espaço. São todos os tipos de investimento que permitem aumentar a actividade.

Investimento quanto à natureza

Investimento quanto à natureza

  1. Material; tipo de investimento que surge da aquisição de bens tangíveis, bens corpóreos. Ex: Carros, edifícios, máquinas, computadores, etc.
  2. imaterial, surge da aquisição de bens intangíveis, bens incorpóreos, publicidade, sites de internet, marcas, patentes, design, etc.
  3. Financeiro: envolve a aquisição de ativos, tem o risco associado, por ex: compra de ações. compra de obrigações.

 

Entesouramento

Entesouramento

Um outro destino dado à poupança é o entesouramento. Em épocas em que o capital perde valor as pessoas tentam livrar-se do capital e adquirir algo que não perca valor.

A compra de uma obra de arte é uma forma de entesouramento. O entesouramento pode ser realizado através da guarda de valores em cofre, para que os valores armazenados não se depreciem, por ex. joias.

 

Poupança intervenientes

Poupança intervenientes

As famílias geram poupanças por vários motivos:

Especulação

A aplicação do rendimento pode ser feita de forma especulativa, adquirindo algo por um determinado valor e mais tarde vender por um valor superior fazendo aumentar o capital inicial.

Despesa Futura (investimento/consumo)

O desejo de adquirir algo dispendioso implica a existência de uma poupança durante um determinado período de tempo até perfazer a quantia necessária.

Precaução (incerteza)

A incerteza quanto ao futuro pode ser uma causa para a poupança. O receio de falta de fontes de rendimento no futuro ou a necessidade de precaução contra o aparecimento de despesas inesperadas leva-as a reservarem uma quantia no presente, como meio de precaução.

Mas também as empresas efetuam poupanças para poderem realizar investimentos futuros,