Desmaterialização da moeda

Desmaterialização da moeda

A DESMATERIALIZAÇÃO DA MOEDA

Da moeda-mercadoria até aos nossos dias desenvolveu-se um longo processo de desmaterialização da moeda. Isto é,  a moeda foi perdendo o seu conteúdo material, pois passou a ser formada por pedaços de papel impressos, legalizados pelo Banco Central (papel-moeda) e, mais recentemente, por meros registos contabilísticos, efectuados pelos bancos, da circulação dos depósitos (moeda escritural), não tendo a moeda já nenhuma realidade material.

O incremento das trocas e o desenvolvimento da actividade económica são responsáveis pelo progressivo recurso à moeda escritural, que torna o processo de transacção fácil e mais rápido.

Actualmente, enormes quantias circulam entre contas bancárias no mesmo país, ou entre países, através de meios electrónicos, o que constitui mais um passo no  processo de desmaterialização da moeda – grande parte das transacções actuais são efectuadas através da movimentação contabilística dos depósitos por via informática.

Criação de moeda escritural

Criação de moeda escritural

A moeda escritural é aquela que resulta da captação de depósitos, a concessão de crédito e a criação de moeda escritural são as principais fontes dos bancos. Mas os bancos também se dedicam à guarda e administração de valores e à prestação de serviços e consultoria.

 

Diferentes graus de inflação

Diferentes graus de inflação

1.Inflação moderada

É caracterizada pelo aumento lento e previsível dos preços. Pode definir-se como uma inflação anual de um só dígito. A maior parte dos países industriais passou por inflação moderada na última década.

2.Inflação galopante

É uma inflação de dois, três dígitos, de 20, 100 ou 200%. Muitos países latino-americanos como a Argentina, o Chile e o Brasil, tiveram taxa de inflação de 50 até 700% ao ano nas décadas de 1970/80.

3.Hiperinflação

Ainda que as economias pareçam sobreviver com uma inflação galopante, nada de bom se pode dizer de uma economia em hiperinflação, onde os preços aumentam um milhão por cento ao ano. Entre Janeiro de 1922 e Novembro de 1923, o índice de preços da República Alemã de Weimar aumentou de 1 para 10 000 000 000.  Com obrigações alemãs no valor de 300 milhões de marcos em 1922 não se conseguiria comprar um bombom dois anos mais tarde.

Definição de Inflação

Definição de Inflação

A inflação ocorre quando o nível geral de preços aumenta.

O cálculo da inflação é efectuado com base em índices de preços dos quais o Índice de Preços no Consumidor (IPC) é o mais importante.

O IPC quantifica o preço médio de um conjunto de bens e serviços (designado por cabaz) comprados pelos consumidores.

A taxa de inflação é a variação percentual do IPC de um ano para o outro.

Produção

Produção

A produção é a atividade que possibilita a criação de bens e serviços que satisfazem as nossas necessidades.

Contudo existem certas questões iniciais:

O que produzir?

Em que quantidades produzir?

Para quem produzir?

Necessidades dos consumidores….

Oferta ….. Os produtores tendem a oferecer os bens e serviços que lhes dão melhor remuneração….

Os bens serviços satisfazem as necessidades dos consumidores

Teoria Elementar da Procura

Teoria Elementar da Procura

Procura: é a predisposição para a compra de determinada quantidade de bens e serviços.

Procura individual: é a procura que respeita a disponibilidade de cada consumidor em particular.

Procura Global ou agregada ou de mercado: Representa a procura na sua globalidade (no geral).

Curva da procura

É INCLINADA NEGATIVA … O DECLIVE É NEGATIVO É UMA FUNÇÃO DECRESCENTE

A curva é inclinada de forma negativa está relacionada com a utilidade marginal decrescente.

“Quanto mais coisas temos, menos lhes damos valor…”

C = a + cYd

Yd (Rendimento disponível: Rendimento – Impostos – Quotizações Sociais)

O consumo tem duas componentes: uma autónoma que é o a e outra que é o propensão marginal ao consumo.

Yd = C (consumo) + S (poupança)

C = é a percentagem que vou aplicar do meu rendimento disponível em relação ao consumo.

“Quanto mais pobre for uma nação,a  maior parte do rendimento disponível será aplicada diretamente no consumo”.

Modelo de equilíbrio parcial

Modelo de equilíbrio parcial

Atomicidade … existe um grande nº de consumidores e de produtores

(ex: os cafés existem em grande nº e também têm um grande nº de clientes).

Homogeneidade: Existe pouca diferenciação entre os vários produtores

(ex: os cafés ou pastelarias tendem a ter serviços muito idênticos).

Ausência de barreiras à entrada:

Qualquer pessoa pode ter livre iniciativa para investir num negócio…

Transparência do mercado: existe informação sobre todos os preços e a oferta de serviços e bens…

Mobilidade perfeita de fatores: os fatores capital e trabalho são móveis.

 

Comportamento dos agentes económicos

Quanto mais alto é o preço menores são as quantidades procuradas.

Existe uma relação inversa entre o preço e a procura.

Com a exceção dos bens de luxo ou de giffen

Determinantes da procura

Determinantes da procura

Gostos ou preferências; por ex: Moda, a publicidade

Rendimento: As opções vão alargar-se….

Informação: A informação proporciona uma melhor escolha

Expetativas: Teoria das expetativas, Se uma pessoa souber que no final do mês vai ter um aumento, ainda antes desse aumento já vai começar a gastar mais dinheiro.

Preços de outros bens: Efeito rendimento e o efeito substituição

Se o preço de um determinado bem complementar aumentar ou outro vai diminuir porque estão diretamente relacionados.

Efeito substituição: O preço de Macdonalds é muito mais caro que o KFC, então, vou substituir a minha opção do Mac para KFC.

Sazonalidade: Por ex: a procura de gelados é maior no verão. A procura de guarda chuvas é maior no inverno.

Oferta – Disponibilidade por parte do produtor para oferecer bens e serviços.

Oferta individual: Oferta de cada um dos produtores.

Oferta Global, agregada ou de mercado: Toda a disponibilidade que os produtores de uma determinada economia estão dispostos a produzir perante um determinado nível de preços.

 

Economia de Mercado e Economia centralizada

Economia de Mercado e Economia centralizada

Economia de Mercado: segue o modo de comportamento da oferta e da procura. Existe propriedade privada e livre iniciativa

Economia Planificada ou de Direção Central: é  o estado que dispõe de todos os recursos e não existe a propriedade privada.