Questões revisão Escolha Múltipla

Questões revisão Escolha Múltipla

  1. A ciência económica está intimamente relacionada com a questão da escassez, na medida em que, se há escassez, é necessário:
    1. Consumir bens;
    2. Efetuar escolhas;
    3. Utilizar recursos;
    4. Realizar investimentos.
  2. O uso pelo João de uma camisa que comprou recentemente constitui um consumo.
    1. coletivo.
    2. público.
    3. individual.
    4. intermédio.
  3. O pagamento de lucros aos acionistas de uma empresa de transportes integra-se na atividade económica designada por…
    1. distribuição.
    2. produção.
    3. repartição de rendimentos.
    4. redistribuição de rendimentos.
  4. No mês de abril, a Maria, na sequência do acréscimo de 200 euros ao seu salário mensal, decidiu aumentar o consumo dos bens habitualmente utilizados. Considerando-se tudo o resto constante, podemos afirmar que esta alteração no consumo da Maria foi influenciada.
    1. pela variação dos preços.
    2. pela inovação tecnológica.
    3. pelo ciclo de vida dos bens.
    4. pelo aumento do rendimento.
  5. O pressuposto de que as decisões económicas interagem umas com as outras e se condicionam de modo a obter-se o equilíbrio dos sistemas está subjacente ao princípio…
    1. da proporcionalidade.
    2. do equilíbrio económico.
    3. da rentabilidade.
    4. da racionalidade.
  6. O António deslocou-se de autocarro, para assistir a um jogo de futebol da seleção nacional. No intervalo, comprou um sumo, um cachecol e um livro. Então, o António.
    1. ao utilizar o livro, efetuou um consumo final e individual.
    2. ao utilizar o sumo, efetuou um consumo intermédio e individual.
    3. ao utilizar o cachecol, efetuou um consumo final e coletivo.
    4. ao utilizar o autocarro, efetuou um consumo intermédio e coletivo.
  7. O consumo intitula-se intermédio quando…
    1. os bens consumidos já se encontram totalmente transformados.
    2. incide sobre os bens essenciais.
    3. os bens ainda vão se objeto de transformações.
    4. incide sobre bens não essenciais.
  8. O papel -moeda é uma forma de moeda…
  9. Verifica-se o efeito-rendimento quando…
    1. o aumento do preço de um bem leva à transferência do seu consumo para o consumo de outros bens mais baratos.
    2. os padrões de consumo de determinados grupos sociais influenciam os níveis de consumo do resto da sociedade.
    3. o aumento do preço de um bem faz diminuir a sua quantidade de consumo.
    4. o aumento do preço de um bem provoca a diminuição do consumo dos bens complementares.
  10. Um dos objetivos da intervenção do Estado na redistribuição do rendimento é garantir uma maior:
    1. Produtividade
    2. Autonomia;
    3. Eficiência
    4. Equidade
  11. As necessidades que exigem algum dispêndio designam-se…
    1. económicos.
    2. sociais.
    3. coletivas.
    4. primárias.
  12. Num determinado mercado, os retalhistas compram aos produtores os bens que disponibilizam aos consumidores, Neste caso, estamos perante um circuito de distribuição.
    1. curto.
    2. longo.
    3. ultralongo.
    4. ultracurto.
  13. Num sistema económico misto, e relativamente aos meis ode produção, podemos afirmar que:
    1. Estes pertencem exclusivamente às famílias, logo são propriedade privada
    2. Estes pertencem ao Estado, logo propriedade pública
    3. Coexistem diferentes tipologias de apropriação, incluíndo propriedade pública,privada, comunitária, entre outras
    4. Estes têm uma propriedade pública, comunitária ou cooperativa.
  14. A entrada de novos consumidores no mercado
    1. Faz deslocar a curva da procura para baixo e esquerda
    2. Mantém a curva da procura inalterada
    3. Faz deslocar a curva da procura para cima e direita
    4. Nenhuma das anteriores
  15. A curva da oferta é positivamente inclinada porque:
    1. A utilidade marginal é decrescente
    2. A utilidade margunal é crescente
    3. Os rendimentos marginais são decrescentes
    4. Os rendimentos marginais são crescente
  16. O ponto de equilíbrio de mercado pode ser definido como uma situação de:
    1. Eficiência;
    2. Eficácia;
    3. Estabilidade;
    4. Equidade
  17. O acréscimo de satisfação proporcionada pelo consumo de uma unidade adcional de um bem é a definição de:
    1. Utilidade marginal
    2. Utilidade marginal decrescente
    3. Utilidade marginal crescente
    4. Utilidade total
  18. Verifica-se que a procura do bem Y aumenta em resultado do aumento do preço do bem x (mantendo-se tudo o resto constante). Então, pode concluir-se que:
    1. Y é um bem de primeira necessidade
    2. X é um bem inferior
    3. X e Y são bens sucedâneos (rivais ou substitutos)
    4. X e Y são bens complementares
  19. Considerando a alteração do nível de procura de um bem por parte de um consumidor, face à sua variação de preço, diz-se que:
    1. A procura é rígida, se a elasticidade-preçi da procura apresentar valores superiores a 0
    2. Mantém a curva da procura inalterada
    3. A procura é rigida, se a elasticidade-preço da procura apresentar valores inferiores a 0
    4. A procura é elástica, se a elasticidade-preço da procura apresentar valores superiores a 1.
  20. Os custos que as empresas têm que suportar em função do aumento de produção designam-se por:
    1. Variáveis
    2. Fixos
    3. Marginais
    4. Normais
  21. Quando o aumento da produção é menos que proporcional ao aumento da capacidade produtiva estamos a considerar a existência de:
    1. Rendimentos de escala constantes
    2. Rendimentos de escala decrescentes
    3. Rendimentos de escala crescentes
    4. Nenhuma das anteriores
  22. A isoquanta pode ser definida como a:
    1. Possibilidade de consumo dos 2 fatores de produção dados os recursos financeiros disponíveis
    2. Representação do máximo de produção com uma dada combinação de fatores
    3. Parte dos custos que é suportada, qualquer que seja a quantidade produzida
    4. Parte dos custos que varia com a intensidade da produção
  23. Quando afirmamos que um determinado mercado é de concorrência perfeita, tal significa que se verificam certas carateristicas, nomeadamente o fato de o:
    1. Nº de empresas a operar no mercado ser elevado
    2. Produto transaccionado no mercado ser diferenciado
    3. Preço a que o bem é vendido no mercado ser baixo
    4. Acesso a esse mercado estar sujeito a barreiras
  24. A ciência económica tem por objeto de estudo a escolha. Esta afirmação é…
    1. verdadeira, pois a Economia estuda a aplicação de recursos escassos na satisfação de necessidades múltiplas e ilimitadas.
    2. verdadeira, pois o objeto de estudo da Economia é o conjunto das atividades transformadoras de bens livres.
    3. falsa, pois a Economia estuda a aplicação dos fatores de produção naturais escassos na maximização do bem-estar da sociedade.
    4. falsa, pois o objeto de estudo da Economia é o conjunto das funções realizadas pelos agentes económicos de um país.
  25. Para o produtor monopolista, o ponto ótimo, em termos de decisão de produção e de maximização do lucro, resulta da interseção entre:
    1. A curva dos custos médios e a curva da procura
    2. A curva dos custos marginais e a curva da procura
    3. A reta da receita marginal e a curva dos custos médios
    4. A reta da receita marginal e a curva do custo marginal
  26. O Oligopólio Coligado pode ser definido com uma forma de mercado caraterizada por:
    1. Existência de poucas empresas, com produtos diferenciados e com interdependência das decisões empresariais
    2. Existência de uma única empresa, com fortes barreiras à entrada de novas empresas e que controlam todos os aspetos ligados à produção.
    3. Existência de poucas empresas, com um produto relativamente indiferenciado e com interdependência das decisões empresariais.
    4. Existência de algumas empresas, com produtos diferenciados e que controlam todos os aspetos ligados à produção.

Fatores a considerar na produção de um bem

Fatores a considerar na produção de um bem

O que produzir? (O quê?)

Para quem produzir (Para quem?, procura);

Quanto produzir? (Quantidades produzidas)

Como produzir? (modo de produção, tecnologia, gestão de recursos, etc.)

Fatores que influenciam a oferta de um bem

Objetivo das empresas;

Preço que se pretende vender;

Preços dos outros bens, relacionados ou não

Custo dos fatores de produção

Nível de desenvolvimento tecnológico

Estrutura de mercado

Função de produção de uma empresa

Existe uma relação entre a quantidade necessária de fatores de produção e a quantidade de produto que podemos obter;

Quantidade máxima de produto que podemos produzir com uma dada quantidade de fatores de produção, é definida para um desenvolvimento técnico e um conhecimento tecnológico determinado.

Pressupõe:

Escolha do bem a produzir

Tecnologia a utilizar

Objetivos empresariais

Função produção F(v1,v2)

V1 – fatores variáveis

V2 – fatores fixos

Na função produção temos a fronteira das possibilidades de produção. Representa a quantidade máxima que podemos produzir utilizando ao máximo os fatores fixos.

Existe a relação com o conceito do custo de oportunidade porque para produzir mais do bem a, vou ter que abdicar do bem b.

Relação entre quantidade de produto e quantidade de recursos (capital, terra e trabalho)

Produto total: é a quantidade total do produto que podemos obter a partir da adição sucessiva de um ou vários fatores de produção

Varia com o aumento de um ou mais fatores de produção

produo-e-custos-macroeconomia-e-microeconomia-10-638

Produto marginal é o produto que deriva de cada acréscimo de uma unidade do fator de produção.

Produto médio: relação entre produto total e unidades do fator de produção.

transferir (1)

Efeito rendimento e efeito substituição

Efeito rendimento e efeito substituição

Efeito rendimento:

transferir (1)

Quando existe um aumento do rendimento em que medida vai afetar o consumo. Mede a alteração da quantidade procurada motivada pela alteração do rendimento.

Efeito substituição: O consumidor perante uma alteração de preços tende a substituir o consumo de um bem por outro ou por outros. Existe uma consequência em que o aumento do preço de um bem normalmente origina o aumento da procura de um bem substituto.

 

Decisões do consumidor

Decisão do consumidor

Partimos do conceito da utilidade que atribui a cada bem e que pressupóe que o consumidor vai efetuar escolhas racionais. Vai escolher a combinação de bens que lhe proporcione a maior satisfação, tendo em conta as restrições de rendimento e disponibilidade de bens.

O consumidor para atingir o máximo de satisfação deve fazer opções de consumo até atingir a utilidade marginal da unidade monetária de cada bem seja igual em todos os bens.

 

Curva consumo rendimento

images

Curva que vai unir os ponto otimos para os diferentes níveis de rendimento.

Lugar geométrico dos pontos de consumo ótimo de dois bens, para certos níveis de preços e vários valores de rendimento.

Curvas de indiferença

transferir (2)

As curvas de indiferença representam o conjunto de pontos indiferentes ou com a mesma utilidade, em termos de decisões de consumo por parte do consumidor.

Curva é negativa porque à medida que se vão retirando unidades de um bem, é necessário introduzir utilidades de outro bem.

As curvas nunca se intersetam e quanto mais afastadas para o lado direito maior a sua utilidade.

Mapa de indiferença

Traça todas as curvas por pontos no espaço, por cada ponto no espaço representa uma combinação de quantidades de dois bens passa uma e só uma curva de indiferença.

slides-aula-3economia1-14-638

Cada uma das curvas acima representa níveis de utilidade superiores.

Taxa marginal de substituição (TMS)

Representa a relação ou rácio ao qual o consumidor está disposto a trocar um bem pelo outro.

Representa a utilidade relativa entre 2 bens.

Em cada ponto da curva de indiferença a TMS é dada pela tangente à curva nesse ponto.

text-html-img1

 

Utilidade

Utilidade

Utilidade

Utilidade

Definição de utilidade

É medida pela capacidade que um determinado bem tem para satisfazer uma necessidade, ou a aptidão de um bem para satisfazer uma necessidade.

Definição Wikipedia

Lei da utilidade marginal decrescente

Á medida que vamos tendo mais bens, o seu contributo para a satisfação de uma determinada necessidade irá dimininuir. Existindo muitas opções muitas delas perdem a sua importância.

  • Lei das utilidades marginais decrescentes – à medida que uma pessoa consome mais de um bem, a utilidade marginal ou adicional diminui.

Por ex: Se tiver um telemóvel ele vai ter a utilidade máxima, mas se tiver 5 telemóveis vão certamente existir alguns que raramente vou utilizar.

Lei da utilidade marginal

Definição Wikipedia

Utilidade Total: Toda a utilidade obtida pelo consumidor pelo consumo de todos os bens.

Utilidade marginal:

  • Ao aumento de utilidade resultante do consumo de mais uma unidade de um bem chamamos de utilidade marginal (adicional)

Temos variação de acordo com as necessidades específicas dos consumidores.

Relação entre a utilidade e a escassez

A utilidade está relacionada com a escassez e também com a forma como é determinante a utilização de determinados bens e serviços. Por exemplo a água é um fator determinante para a agricultura, o consumo de energia é determinante para a indústria.

Á medida que consumimos mais bens a necessidade satisfeita pelos mesmos vai diminuindo. (Lei de Gossen)

Relação entre a utilidade e a procura

Existe uma relação entre a curva da procura e a curva de utilidade marginal.

Existe um carater decrescente na utilidade marginal o que confere a inclinação negativa da curva da procura.

Excedente do consumidor

Quando a utilidade adicional do bem vai diminuindo decrescendo a quantidade, o agente está disposto a pagar menos por cada unidade se comprar quantidades maiores. (utilidade marginal decrescente)

Compra-se mais por menos dinheiro.

Precisa de apoio para preparação para testes e exames

Contacte-nos: 91 818 70 95

ou

visite-nos: www.kids.com.pt

 

 

Elasticidades

Elasticidades

Elasticidade da procura

A elasticidade mede a alteração percentual de gastos num determindo bem a partir da alteração percentual do rendimento.

Isto significa, dada uma alteração no rendimento em que medida é que se reflete no consumo.

Permite averiguar a importância de um determinado bem no cabaz de compras, através da variação do peso relativo do bem no cabaz.

Elasticidade Rendimento da procura

Bens normais  0< Er <1 ( tem uma relação inversa entre o preço e a procura, mas quando o rendimento aumenta também tendem a ser mais procurados).

Dada a relação entre o rendimento e a procura. Nos bens normais a relação entre o rendimento e  procura (consumo) é uma relação direta. No entanto o consumo (procura) aumenta menos que proporcionalmente em relação ao rendimento. Por exemplo os bens alimentares.

images (1)

Bens Superiores Er > 1 (São aqueles que quanto mais caros forem maior será o impato na sua procura)

Nos bens superiores quando o rendimento aumenta o aumenta da procura é mais do que proporcional ao aumento do rendimento. Por ex: os bens de luxo.

Bens Inferiores Er < 0 (Bens inferiores são bens que quando ocorre aumento do rendimento deixam de ser tão procurados)

Existe uma tendência para diminuição do seu consumo quando o rendimento aumenta. Existe substituição pelo consumo de bens com maior qualidade. Por ex: uma pessoa que tenha melhoria de rendimento tende a aumentar o nível de exigência relativamente ao vestuário.

Elasticidade Preço – Procura

Mede a variação percentual da procura em função da variação percentual dos preços.

E = variação % da quantidade procurada/ variação % dos preços.

Classificação da procura em função da elasticidade

|Ep,q| >1 , procura elástica

|Ep,q| =1  procura unitária

|Ep,q|<1 procura rígida

Ep = – (Variação Q / Variação P)/ P/Q

Elasticidade Cruzada para procura (ex,y)

Mede a sensibilidade da procura face à variação de preços de bens relacionados.

e = variação % da quantidade procurada do bem X/ variação % da quantidade procurada do bem Y.

Classificação da procura em função da elasticidade

Ex,y >0 , bem rival ou substituto

Ex,y = 0, Bem independente

Ex,y <0, Bem complementar

A variação relativa também pode ser em ambas as variáveis.

Elasticidade da oferta

Mede o grau de sensibilidade da oferta em função da variação dos preços.

Em concorrência perfeita

A elasticidade da oferta é reduzida, pois para uma determinada tecnologia a capacidade produtiva é muito identica. Se houver um aumento do preço o produtor só pode elevar o seu nível de produção no curto prazo porque a aplicação de capital é variável.

A introdução de unidades suplementares de capital variável gera custos marginais crescentes e desta forma rendimentos decrescentes.

Lei dos rendimentos marginais decrescentes

Aumentando a capacidade produtiva, vamos ter acréscimos menores na produção adicional, desta forma entramos em deseconomia de escala.

Determinação do nível de produção de uma empresa “price taker”

Ct = Pe

Ct < Pe : Lucros para a empresa

Ct > Pe: Prejuízos para a empresa.

Excendente do produtos é calculado com a diferença entre o preço cobrado por cada uma das unidades vendidas (Preço de Mercado) e o preço mínimo ao qual o produtor esta disposto a vender.

 

–Quando as exportações crescem 1%, as importações crescem 1.3%.

–Quando as vendas aumentam 1%, as necessidades de pessoal aumentam 0.7%.

  • Quando temos variação relativa em ambas as variáveis, estamos em presença de uma elasticidade que é uma grandeza sem unidades.

–Se a elasticidade do ordenado relativamente à escolaridade for 2, então se a escolaridade aumentar 1%, o ordenado aumenta 2%.

–Denomina-se por elasticidade escolaridade do salário

Joint Venture

Joint Venture

Joint venture ou empreendimento conjunto é uma associação de empresas não definitiva e com fins lucrativos para explorar determinados negócios sem que nenhuma delas perca a sua personalidade jurídica.

As empresas têm um acordo temporário com vista à realização de um negocio que no final pode acabar em acordo.

Um exemplo do modelo típico do joint venture seria a transacção entre o proprietário de um terreno de excelente localização e uma empresa de construção civil interessada em levantar um prédio sobre o local.